Brasil vai ensinar asiáticos sobre mercado de mandioca

Publicado em 11/10/2010 07:45
375 exibições
O avanço do mercado brasileiro de mandioca tem chamado a atenção de asiáticos. Representantes chineses e tailandeses desse setor procuraram agentes brasileiros para que apresentem a experiência de organização do mercado de mandioca no Brasil naqueles países. A China tem investido bastante em derivados de mandioca, especialmente na produção de biocombustíveis.

Para ajudá-los, embarcaram na sexta-feira(8) para a China o pesquisador do Cepea Fábio Isaías Felipe e o presidente da Abam (Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca), Antonio Donizetti Fadel. Amanhã, em Zhuhai, o pesquisador Fábio Felipe ministra palestra sobre a indústria da fécula de mandioca no Brasil para empresários chineses e pesquisadores do Chinese Academy Tropical Agriculture Science. De lá, segue para Bancoc, na Tailândia, onde fará outras apresentações e visitará institutos de pesquisa, como o Thai Tapioca Development Institute (TTDI), e a Universidade Kasetsart.

Mercado nacional

Pesquisas do Cepea mostram que os preços da raiz de mandioca à indústria estão em patamares elevados ao longo deste ano. Em termos reais (valores deflacionados pelo IGP-DI), a média de setembro/10 (R$ 257,95/tonelada) superou em 54,1% a de igual período de 2009, que já era considerada elevada. A média acumulada de 2010 está 48% maior que a do ano passado, sendo, também, a mais alta desde 2004.

Segundo o pesquisador Fábio Isaías Felipe, de modo geral, a oferta de raiz de mandioca neste ano está semelhante à do ano passado, mas a quebra de produtividade justamente nas regiões mais industrializadas acarretou diminuição da oferta de fécula e farinha. Além disso, o bom desempenho da economia brasileira aqueceu a demanda especialmente por fécula, proporcionando-lhe reajustes também expressivos.
Tags:
Fonte: Folha de Londrina

Nenhum comentário