CMN eleva preço mínimo da uva

Publicado em 29/10/2010 07:23
434 exibições
Depois de quatro anos de espera dos viticultores, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou, ontem (28), o aumento do preço mínimo da uva de R$ 0,46 para R$ 0,52, o quilo da uva Isabel, 13% de incremento. A medida entrará em vigor em fevereiro de 2011.

Os produtores consideraram a alta um avanço, que dará mais tranquilidade, renda e estímulo ao produtor. Entretanto, a expectativa era por um valor maior. "Nossa proposta era de R$ 0,59, para cobrir os custos de produção", destacou o presidente da Comissão Interestadual da Uva, Olir Schiavenin.

O coordenador geral para pecuária e culturas permanentes do Ministério da Agricultura (Mapa), João Salomão, explica que a definição segue critérios como custo de produção, mas também leva em consideração outros fatores, como a condição de mercado, que é favorável ao reajuste, devidos aos estoques reduzidos, de 95 milhões de t de litros de vinho, e a boa qualidade esperada para a safra. "Sabemos que havia expectativa de preço melhor, mas consideramos os fatores e chegamos neste valor."

O presidente do Ibravin, Júlio Fante, acredita que o valor tenha ficado satisfatório tanto para a indústria quanto para o produtor. "A indústria reconheceu a necessidade de incremento e o produtor recebeu a inflação e mais aumento real", justificou. Segundo ele, as indústrias comprometeram-se a respeitar o patamar estabelecido.

O CMN ainda definiu que os produtores inadimplentes no Pesa terão até 30 de novembro para manifestar interesse em quitar valores vencidos até 31 de dezembro de 2009. A data também será limite para os juros vencidas até 30 de novembro de 2010.
Tags:
Fonte: Correio do Povo

Nenhum comentário