Exportação de frutas deve crescer 25% em quatro anos

Publicado em 01/03/2011 07:52 739 exibições
O Brasil cresceu mais de 25% nas exportações de frutas desde 2006 e prevê o mesmo incremento até 2014. Em 2010 o volume foi menor em 2,6%.
As exportações brasileiras de frutas devem crescer 25% nos próximos quatro anos, a exemplo do que aconteceu desde 2006, quando o País embarcou US$ 700 milhões, e saltou para US$ 875 no ano passado. Apesar do otimismo do setor, em 2010 os volumes ficaram 2,6% menores ante 2009, dada a desvalorização do dólar e o aumento do consumo interno.

Em 2010 o País exportou 759,4 milhões de toneladas de frutas, queda de 2,6% se comparado ao ano anterior. Entre os produtos responsáveis pela queda nos volumes estão o limão, a banana, o melão e a maçã. De acordo com o engenheiro agrônomo do Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), Clóvis Ribeiro, a queda nas vendas externas dessas frutas nos dois últimos anos ocorreu devido à baixa demanda internacional, que ainda vive sob o reflexo da crise de 2008, principalmente a Europa, responsável pela compra de 78% da produção nacional de frutas. Outro fator apontado por ele foi à taxa cambial desfavorável. "Todos esses fatores contribuíram para um menor volume de exportação. No caso do clima houve um menor volume de produção, porém a qualidade da fruta foi satisfatória, o que impediu uma maior queda na exportação", contou.

Para o analista de mercado da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Luiz Marcelino, com a queda do dólar, os produtores de maçã do estado se voltaram para o mercado interno, que tem uma demanda crescente pelo produto, consumindo em média 5 quilos por habitante/ano. "Com o dólar pouco valorizado exportar fica mais difícil, pois temos custos mais altos, com isso, perdemos nossa competitividade. Temos um consumo de maçã per capta de 5,2 quilos e se multiplicarmos pela população temos uma demanda interna bem aquecida, de mais de 1,2 milhão de toneladas do produto por ano", frisou Marcelino.

No ano passado, as exportações de maçã ficaram em US$ 55,3 milhões, ante os US$ 56,3 milhões obtidos em 2009. Já em relação ao volume a queda foi ainda maior; em 2010 o País embarcou 90,8 milhões de toneladas, contra as 98,2 milhões do ano anterior, segundo dados da Epagri.

A manga e a uva tiveram um incremento de 13% e 11,4% respectivamente, ou seja, 124 mil toneladas de manga e 60,8 mil toneladas de uva abasteceram o exigente mercado externo durante o ano passado.

"A explicação para o bom desempenho de vendas externas dessas duas frutas no ano de 2010 é que seu polo exportador fica na Região Nordeste, onde o clima colaborou, diferente do cenário de 2009. O resultado foi uma safra com bom volume de produção e excelente qualidade de comercialização para o mercado externo", disse Cloves Ribeiro.

Segundo Sidney Medeiros, coordenador de Produção Integrada da Cadeia Produtiva do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o mercado externo busca produtos de qualidade, e o Brasil deve aproveitar esse momento para crescer mais 25% nas exportações de frutas. Medeiros disse que a busca por boas práticas e sustentabilidade, levaram os produtores a utilizar as práticas de certificação de qualidade do ministério. O sistema eleva os padrões de qualidade e competitividade dos produtos ao patamar de excelência requerido pelos consumidores. "A Produção Integrada é um sistema moderno de produção agropecuária baseado em boas práticas e sustentabilidade. Nossos produtores estão atentos a isso para atender as exigências do mercado internacional", finalizou.

Tags:
Fonte:
DCI

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário