Citricultura: Cadeia de consumo brasileiro precisa ser vista com olhos mais atentos

Publicado em 02/04/2012 17:20 773 exibições
Por Paulo César Biasioli, engenheiro de alimentos da Alicitros (Associação de Citricultores da Região de Limeira).
INCOERÊNCIA
Nesta última segunda feira, ocorreu em Bebedouro uma reunião de citricultores para debate de
assuntos importantes para o setor. Destacamos o tema “Código Florestal” e citricultura; nele foram apontadas algumas incoerências do ministério público da região; o presidente Flavio Viegas da Associtrus, que promoveu o encontro, comentou que existem citricultores da região, sendo obrigados a assinar TAC (termo de ajustamento de conduta) para um suposto enquadramento de propriedades diante de o novo código que ainda nem foi aprovado e publicado oficialmente pelo congresso nacional. Alertamos nossos leitores para atenção quanto aos riscos do caso, ainda sem legislação.

FRENTE PARLAMENTAR
Mais uma vez a citricultura também sofrerá conseqüências; para o caso relatado acima, assim
como para outros tantos, o que se espera são urgentes reações de contra ofensiva.
Agora, como em outras ocasiões, perguntamos: cadê a tal Frente Parlamentar alardeada pelos
deputados estaduais Roberto Massafera e Edinho Silva? Nesta hora precisamos de pressão deles sobre seus colegas deputados federais e senadores.
Mãos à obra, pelo menos dessa vez!

NEGÓCIO FECHADO
Após meses de negociações e diligências, finalmente a Louis Dreyfus Citrus, sacramentou e
oficializou a compra da unidade de citros da Cocamar em Paranavaí – PR
Pessoalmente tenho uma pontinha de orgulho nesta compra, pois, por mais de 5 anos prestamos
consultoria à Cocamar e a fábrica processadora adquirida é, sem dúvidas, a melhor instalação
fabril fora as do estado de São Paulo.
Hoje a fábrica tem capacidade de esmagamento de 7 milhões de caixas, deixamos por lá
planejamentos e estudos para rapidamente dobrar a produção.
Agora é só fomentar novos pomares.
Parabéns a ambos.

DEU NA FOLHA
O agrônomo Maurício Mendes comentou na sua coluna semanal da Folha de São Paulo dados
sobre consumo de sucos de laranja em geral (sucos concentrados, frescos e até frutas in-natura).
Mesmo carecendo de dados oficiais e estatísticos mais apurados, o comentado deixa claro que a
cadeia de consumo brasileiro precisa ser vista com olhos mais atentos.

QUEDA LIVRE?
O FDOC (Florida Departament of Citrus) detectou queda no consumo de suco de laranja no
mercado americano nas últimas 4 semanas.
Apontam queda de até 15 % em relação ao mesmo período de 2.011.
Carbendazim ou não, crise ou não, é um fato preocupante e que deve ser o foco de atenção dos
departamentos comerciais das indústrias brasileiras.

PARA SABER
Os países que mais consomem suco de laranja industrializado são os EUA (850 mil toneladas
anuais), a Alemanha (180 mil) e a França (160 mil). O Brasil consome apenas 41 mil toneladas por
ano, o bom é que já foram 30 mil.

Engenheiro de Alimentos PAULO CELSO BIASIOLI
CROP-consultoria

Tags:
Fonte:
Alicitros

1 comentário

  • Luis França Alto Paraná - PR

    Nós como produtores de laranja aqui na região noroeste do Paraná, tambem ficamos satisfeitos com esta nova parceira Louis Dreyfus,espero que possamos, sem trocadilho, colher bons frutos, quem já esteve visitando nossos pomares pôde constatar que aqui não existe produtor de laranja, mas sim citricultor, o profissionalismo está sempre presente, com o respaldo da assistência técnica da Cocamar que é da mais alta competência.

    Att. Luis França

    0