Greening: Citricultores realizam pulverização conjunta contra o psilídeo

Publicado em 16/09/2013 09:47
611 exibições
Grupos de manejo regional irão fazer o controle em todo estado entre os dias 16 e 22 de setembro

Uma ação conjunta de citricultores irá realizar o controle do psilídeo Diaphorina citri simultaneamente em várias regiões do estado de São Paulo, entre os dias 16 e 22 de setembro. Chamada de “pulverização conjunta”, a medida é um esforço coletivo para baixar a população do inseto considerado a maior praga da citricultura por ser o transmissor do greening (HLB). A doença foi responsável pela eliminação de 3,7 milhões de plantas de laranja no primeiro semestre deste ano, segundo dados da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA).
 
“A vantagem da pulverização conjunta é o maior tempo de proteção do inseticida e a diminuição da reinfestação do psilídeo, uma vez que diminui o risco do inseto migrar de uma propriedade onde não foi feito o controle para outra recém pulverizada. O resultado é maior proteção e menos gasto com produtos inseticidas”, afirma o pesquisador do Fundecitrus Fabio dos Santos.
 
Atualmente, existem três grupos de manejo de HLB ativos, nas regiões de Araraquara, Avaré e Santa Cruz do Rio Pardo, que somam 81 propriedades, distribuídas em 42 cidades paulistas, abrangendo 63,5 mil hectares de citros. Há ações para montar outros grupos nas regiões de Bebedouro e Mococa.
 
Alerta fitossanitário
 
A pulverização conjunta foi decidida pelos produtores após a constatação do aumento da população do psilídeo nos pomares, nas últimas semanas, identificado pelo monitoramento permanente feito pelo Fundecitrus com a colaboração de produtores de citros.
 
“As plantas apresentam fluxo vegetativo entre os meses de agosto a outubro. É uma condição bastante favorável ao psilídeo, que coloca seus ovos apenas em brotações”, explica.
 
Chamado de alerta fitossanitário, o monitoramento é feito por meio de um sistema online no qual os citricultores cadastram dados sobre a presença do psilídeo em vários pontos georreferenciados do estado. Atualmente, há 4858 armadilhas monitoradas. Os dados são organizados e disponibilizados em forma de relatórios quinzenais com dados da população do inseto nas propriedades e na região e que permitem identificar os locais e momentos críticos de ocorrência do psilídeo, ajudando os produtores na tomada de decisões mais precisas para o controle do inseto (saiba mais sobre o alerta fitossanitário em www.fundecitrus.com.br/alerta-fitossanitario).
 
O Alerta Fitossanitário é uma das bases para o manejo regional do HLB. Segundo um estudo desenvolvido pelo Fundecitrus, o manejo realizado em conjunto por várias propriedades vizinhas é dez vezes mais eficaz que o controle restrito a apenas um pomar.
 
O sistema online está disponível a todos os citricultores, independente de participação de grupos de manejo regional ou não, e pode auxiliar no controle da população da praga nas propriedades.

Tags:
Fonte: AI Fundecitrus

0 comentário