Grupo Cutrale e Safra adquire Chiquita em acordo de US$1,3 bi

Publicado em 27/10/2014 10:05 e atualizado em 27/10/2014 13:54 185 exibições

LOGO REUTERS (16408)

Reportagem de Guillermo Parra-Bernal e Sruthi Ramakrishnan

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo formado pela empresa de suco de laranja Cutrale e o banco Safra fecharam acordo nesta segunda-feira para adquirir a empresa norte-americana produtora de bananas Chiquita, em um negócio de 1,3 bilhão de dólares que inclui dívidas.

Pelos termos do acordo, os acionistas da Chiquita vão receber 14,50 dólares por ação em dinheiro, o que avalia a companhia em cerca de 682 milhões de dólares.

O Cutrale-Safra venceu uma batalha que durou quase três meses pelo controle da empresa da Carolina do Norte, que rejeitou três ofertas anteriores e tentou uma fusão com a irlandesa Fyffes.

A Chiquita vai tornar-se uma unidade controlada integralmente pelo Cutrale-Safra, uma vez que o negócio seja concluído, segundo um comunicado.

"Para assegurar que a Chiquita tenha a melhor e mais sustentável plataforma neste setor, a Chiquita poderá acessar a grande experiência do Cutrale-Safra em todos os aspectos da cadeia de valor de frutas e sucos e sua ampla experiência financeira", acrescentou o comunicado.

A aquisição é uma vitória para o banqueiro brasileiro de origem libanesa Joseph Safra e para o barão do suco de laranja José Luís Cutrale, que uniram forças para acrescentar a Chiquita aos seu portfólio de negócios, que já inclui laranja, maçãs, pêssego, limão e soja.

Chiquita, Fyffes, Fresh Del Monte Produce e Dole Food controlam o mercado global de bananas, avaliado em 7 bilhões de dólares anuais.

As ações da Chiquita subiram mais de 40 por cento desde 11 de agosto, quando o Cutrale-Safra tornou pública sua intenção de assumir o controle da empresa.

As ações da Chiquita fecharam em 14,16 dólares na sexta-feira.

O Cutrale-Safra também irá assumir as dívidas da Chiquita, com uma unidade do grupo Safra, o banco J. Safra Sarasin AG, ampliando a recompra de títulos de dívida emitidos pela Chiquita com vencimento em 2021.

O negócio ocorre em meio ao esforço de Safra, o banqueiro mais rico do mundo com uma fortuna de 16 bilhões de dólares, de diversificar seus investimentos além do setor bancário, financeiro e imobiliário.

Já Cutrale e sua família, que enfrentam o declínio global no consumo de suco de laranja, têm ampliado atuação em novas regiões e produtos, depois de entrarem no negócio de comercialização de grãos em anos recentes.

"Nós esperamos trabalhar com o Cutrale-Safra para garantir uma transição suave e uma transação completa o mais rápido possível", disse o presidente-executivo da Chiquita, Ed Lonergan, segundo comunicado.

A transação está sujeita à aprovação de órgãos regulares e a expectativa é que esteja concluída no início de 2015, segundo o comunicado.

Negócios

Cutrale e Safra acertam compra da Chiquita

Negócio é avaliado em US$ 1,3 bilhão e transforma o Brasil no controlador da maior empresa de bananas do mundo

Chiquita atua no segmento de frutas tropicais, especialmente bananas

Chiquita atua no segmento de frutas tropicais, especialmente bananas (Guillermo Granja/Reuters/VEJA)

O grupo formado pela empresa de suco de laranja Cutrale e o banco Safra acertaram nesta segunda-feira a compra da Chiquita, produtora de bananas com sede nos Estados Unidos. O acordo é avaliado em 1,3 bilhão de dólares. A Cutrale-Safra vai adquirir a Chiquita por 14,50 dólares por ação, a última proposta feita pelo grupo. A Chiquita informou mais cedo que o acordo foi aprovado por unanimidade pelo seu Conselho de Administração. O controle da empresa agora ficará nas mãos dos milionários José Luís Cutrale e Joseph Safra.

A Chiquita Brands é a maior produtora de bananas do mundo. Ela atua no segmento de frutas tropicais, especialmente bananas. A companhia já havia recusado mais de uma vez as ofertas de compra. Em agosto, refutou a proposta de 625 milhões de dólares feita pelas duas empresas brasileiras. Na época a Chiquita informou que a proposta do Safra e da Cutrale não atendia "os melhores interesses da empresa e de seus acionistas".

O mercado global de bananas é controlado por quatro empresas: Chiquita, Fresh Del Monte Produce, Dole Food Company e Fyffes. A Chiquita, sediada em Charlotte, na Carolina do Norte, Estados Unidos, vinha negociando, desde março, uma fusão com a Fyffes, de Dublin, na Irlanda. 

Na quinta-feira, os grupos Cutrale e Safra aumentaram pela segunda vez a oferta de compra pela Chiquita. A distribuidora americana, por sua vez, rejeitou a oferta por conta da fusão com a Fyffes. No entanto, os acionistas da Chiquita realizaram assembleia geral nesta sexta-feira, e decidiram desistir da fusão e aceitar a oferta das brasileiras. Agora a Chiquita terá que indenizar a Fyffes, segundo acordo entre os dois grupos.

(Com Estadão Conteúdo

 

Tags:
Fonte:
Reuters

0 comentário