Citricultor e indústria mais perto de acordo sobre preço de laranja

Publicado em 28/07/2010 07:20 469 exibições
Depois de um "puxão de orelha" do secretário de Agricultura de São Paulo, João Sampaio, produtores de laranja e indústrias processadoras finalmente decidiram iniciar a construção do Consecitrus - mecanismo para nortear a formação dos preços da fruta fornecida para a fabricação do suco, a exemplo do que acontece na cana (Consecana). Em reunião realizada na terça-feira(27) na capital paulista, foi acertado que há consenso na criação do Consecitrus dos dois lados da cadeia: produtor e indústria. Ficou definido que problemas externos à metodologia de formação de preços serão discutidos em seus respectivos fóruns.

Diante das divergências existentes entre os produtores ligados aos sindicatos rurais de São Paulo, a Federação de Agricultura paulista (Faesp) pediu um prazo maior para analisar o estatuto que está sendo proposto. Segundo Sampaio, ainda existem muitas dúvidas sobre a adesão ao sistema e sobre uma possível renegociação de preços já contratados.

"Ainda não há um entendimento de que o Consecitrus é voluntário, por exemplo. Por isso, uma nova convocação será feita para daqui duas ou três semanas", disse o secretário. Ao ampliar o prazo da discussão, ele já solicitou aos produtores que tragam para próxima reunião uma definição de parâmetros para formação de preços definidos pelo próprios citricultores. O objetivo é não ter uma única metodologia de análise e discutir os parâmetros juntamente com os apresentados pela indústria.

Apesar de as conversas não terem avançado de forma significativa, a expectativa é de que o Consecitrus siga um modelo semelhante ao Consecana. A ideia é que seja criada uma única entidade que passe a representar os produtores no conselho, da mesma forma que já existe uma associação que fala em nome das indústrias.

Esse modelo, no entanto, não tem a aprovação de todas as entidades de produtores. Isso porque, nos bastidores das conversas, Sociedade Rural Brasileira (SRB), Faesp e Associação Brasileira de Citricultores (Associtrus) teriam que eleger um único representante, fato que, politicamente, reduziria o poder de uma ou todas as associações.

Como era previsto, a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR) apresentou o método de desconstrução dos preços do suco de laranja. Dessa forma foi possível ter ideia do peso que a laranja tem no custo total da indústria.

"A maior reivindicação do setor produtivo dos últimos anos está na mesa de discussão. Sinto que agora existe uma boa vontade de todos, mas ainda não entramos na parte técnica da discussão", afirma Christian Lohbauer, presidente da CitrusBR.

Tags:
Fonte:
Valor Econômico

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário