Produtores de laranja de SP recebem orientação pelo rádio sobre o greening

Publicado em 26/11/2010 06:32 331 exibições
Alerta faz parte da campanha da Fundecitrus para controlar a incidência da doença.
Produtores de laranja de São Paulo se unem para combater o greening, a doença que pode até erradicar os pomares. O trabalho em grupo diminui a incidência de casos. A preocupação é maior nesta época quando ocorre a brotação nas plantas e aumenta quantidade de insetos que causam a doença. Os produtores paulistas estão recebendo orientações sobre o controle pelo rádio.

A estação da brotação chegou e com ela um alerta: é preciso redobrar os cuidados com os pomares. O período é favorável para o desenvolvimento do inseto transmissor do greening.

O alerta nas rádios de 50 municípios de São Paulo faz parte da campanha de controle do greening, feita pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus). O citricultor Adilson Pereira dos Santos recebeu o recado também pelo celular. Ele tem plantação de laranjas em Araras, há 180 quilômetros de São Paulo, e diz que já perdeu mais de 250 pés por causa da doença. O agricultor Gilberto Salomé, vizinho de Santos, teve que arrancar 600 plantas, quase 10% do pomar.

No Estado de São Paulo é difícil encontrar um produtor que não tenha problemas com o greening. Nesta época do ano, quando as laranjeiras estão em brotação e a incidência do inseto é maior por causa do período de reprodução, é preciso fazer mais que isto. Em Araras, uma estratégia que está dando certo é a união dos produtores. Eles formaram grupos e juntos conseguem combater o greening com mais eficiência. Gilberto e o Adilson fazem parte de um grupo de oito produtores.

-O que a gente consegue fazer com sucesso é a inspeção do greening. Hoje a gente contrata uma equipe especializada na inspeção e, com isso, consegue baixar bastante o custo da inspeção porque reúne vários produtores em um grupo. Além disso, a qualidade na inspeção é muito melhor – afirma Adilson Pereira dos Santos.

Só no município de Araras foram formados seis grupos de produtores para combater o greening. São 100 citricultores responsáveis por cerca de duas mil plantas. Isso tem pouco mais de um ano e eles já viram resultados interessantes.

– Antes eu erradicava em cada inspeção 60, 70 plantas. Hoje, numa inspeção que foi feita na semana passada, eu achei no máximo seis, sete plantas – confirma Santos.

Daqui a uma semana o grupo do qual Gilberto e Adilson fazem parte vai realizar mais uma etapa de controle: a aplicação de inseticida para evitar a dispersão do inseto pelos pomares e, consequentemente, a transmissão da doença. A inspeção, que identifica a presença do transmissor do greening, é feita pelo grupo de três em três meses. A próxima vai ser no início do mês que vem.

- A gente anda por aí e vê muito produtor desanimado, porque não dá conta mesmo. O greening é poderoso. Hoje a gente se sente mais seguro, mas o mais importante é a gente encontrar um controle para poder erradicar esta praga, porque ela é terrível – diz Gilberto Salomé.

– Cada vez mais, com o citricultor mais consciente, conhecendo como a doença atua na planta cítrica, como o inseto se dissemina, qual o momento certo de monitorar este inseto e de fazer o controle deste inseto, a gente vai conseguir baixar esta doença – garante o técnico da Fundecitrus, Marcelo Miranda.

No Estado de São Paulo, existem 190 milhões de pés de laranja em produção. Segundo o Fundecitrus, cerca de 2% estão contaminados pelo greening.

Tags:
Fonte:
Canal Rural

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário