Sumo de laranja em máximos de três anos

Publicado em 05/01/2011 06:48 456 exibições
Os preços das matérias-primas continuam a bater máximos nos mercados internacionais. Cobre, algodão, trigo e metais seguem em alta.

Os futuros do sumo de laranja atingiram hoje máximos de três anos, com os receios de que o mau tempo que está a afectar a Florida condicione as reservas da matéria-prima. A Florida é o segundo maior produtor de sumo deste citrino, depois do Brasil, e já declarou o estado de emergência devido às más condições climatéricas.

Foi neste cenário que o preço dos contratos de sumo de laranja para entrega em Março subiu para 1,7355 dólares por libra (cerca de 500 gramas) durante a negociação, máximos de Maio de 2007, com os especialistas a apontarem para uma quebra de 13% nas colheitas de laranja da Florida.

"O tempo frio chegou muito mais cedo do que o habitual e parece que não vai haver melhorias", comentou um especialista à Bloomberg. "Acredito que assistiremos a mais problemas [relacionados com a plantação]", acrescentou.

Cobre atinge novo máximo

Também o preço do cobre está hoje em destaque, ao chegar aos 4.498 dólares por tonelada métrica, em Nova Iorque, um novo máximo histórico.

O cobre é utilizado na fabricação de fios condutores e ligas metálicas como latão e bronze. Também é utilizado na cunhagem de moedas, na agricultura e no revestimento de outros metais e superfícies.

Já o algodão avançou hoje 0,7%, para negociar nos 1.4584 dólares a libra, depois de ter fechado 2010 com um avanço de 92%, o que correspondeu ao melhor desempenho anual desde 1973, com os investidores preocupados com a quebra da produção desta planta.

Cheias na Austrália aguçam procura por trigo

Nos cereais, o trigo continua em destaque, com os preços a tocar máximos de cinco meses. É que as cheias na Austrália estão a condicionar o transporte do cereal. As estradas do país estão inundadas numa área equivalente à de França e Alemanha, nota a Bloomberg. Já nos EUA uma vaga de frio, que deverá prolongar-se entre 11 a 18 dias, está a provocar estragos nas colheitas e a condicionar as reservas de matéria-prima.

Os futuros de trigo para entrega em Março chegaram hoje aos 8,25 dólares o alqueire (entre 11 a 15 quilogramas), o preço mais elevado desde Agosto de 2010. No ano passado o preço do cereal subiu 47% o que se traduziu no primeiro desempenho anual positivo desde 2007.

Nos metais preciosos, a prata continua a reforçar máximos, chegando aos 31.275 dólares a onça, em Nova Iorque, máximos de 30 anos. Também o ouro mantém a preferência dos investidores, por ser considerado um activo de refúgio em tempos de crise. O metal amarelo voltou hoje a negociar acima dos 1.424 dólares a onça, em Nova Iorque.

Tags:
Fonte:
Economico

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário