Projeto de Ferrovia Centro-Oeste será apresentado em Água Boa

Publicado em 16/04/2010 13:41 1391 exibições
Surpresa, Água Boa participa hoje de uma audiência pública onde o DNIT e a estatal Valec – vinculada ao Ministério dos Transportes - apresentarão e debaterão o projeto de construção da Ferrovia de Integração Centro-Oeste, cujos trilhos cruzarão aquele município na ligação de Uruaçu (GO) com Vilhena (RO). O presidente da Aprosoja/MT participa do encontro e fará apresentação durante o evento.

A matriz de transporte ferroviário nunca povoou o inconsciente coletivo de Água Boa e região, onde a população trava duas lutas por transporte: a conclusão da pavimentação da BR-158 – em obra – e pela navegação comercial nos rios Araguaia e das Mortes.

O anúncio do apito de trem previsto para acontecer daqui a quatro anos colhe Água Boa de surpresa. De agradável surpresa. Trata-se da obra de uma ferrovia planejada para promover ligação bioceânica, e cujo traçado contempla aquele município além de Cocalinho, Lucas do Rio Verde e outros.

A Centro-Oeste terá 1.602 km e fará conexão com a Ferrovia Norte-Sul em Uruaçu. Sua obra foi contemplada com R$ 6,4 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC-2). Essa nova matriz de transporte cria importante corredor para a exportação de commodities agrícolas pelo Porto de Itaqui, em São Luís, Maranhão, e estabelece nova rota na ligação do Nordeste e Goiás com Mato Grosso, Rondônia, Acre, Amazonas e Pará.

A localização de Água Boa no centro geodésico do Brasil atrai investidores e atrairá muito mais, agora, com o anúncio da chegada do trem. Tanto aquele quanto os demais municípios no eixo da ferrovia serão beneficiados por um sistema de transporte seguro, barato, eficiente e ecologicamente correto. Além disso o valor venal de suas terras subirá e haverá crescimento urbano.

A Ferrovia Centro-Oeste atenderá a uma das demandas de Mato Grosso, porém, regiões afastadas de seus trilhos continuarão carentes de melhor infraestrutura de transporte terrestre, como é o caso de Cuiabá e Rondonópolis, que esperam pela chegada do trem da Ferrovia Senador Vicente Vuolo, da América Latina Logística (ALL), que faz ligação com o Porto de Santos.

A dimensão territorial de Mato Grosso exige modais de transportes regionalizados, porém integrados às malhas nacionais, como é o caso da Ferrovia Centro-Oeste, que será âncora de um sistema rodoferroviário alimentador da Ferrovia Norte-Sul.

Outros modais de transporte também precisam de consolidação para que Mato Grosso alcance desenvolvimento uniforme e não se transforme em um conjunto de bolsões que intercalem riqueza e pobreza.

Em nenhum aspecto a Ferrovia Centro-Oeste para Cocalinho, Água Boa e Lucas do Rio Verde será predadora. Ao contrário, ela significa importante conquista do deficitário setor de transporte mato-grossense. Que em breve a ela também se junte o trem sonhado há décadas por Cuiabá.


"A dimensão territorial de Mato Grosso exige modais de transportes regionalizados"

Tags:
Fonte:
Diário de Cuiabá

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário