Navios de fertilizante têm preferência para descarregar no Porto de Antonina

Publicado em 21/09/2010 07:30
692 exibições
A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) determinou ações complementares sobre o desembarque de fertilizantes. A ordem de serviço 148/2010, assinada pelo superintendente Mario Lobo Filho, prevê que navios carregados com este tipo de produto tenham atracação preferencial para iniciar a movimentação em Paranaguá e, assim que atingirem as condições operacionais de calado necessárias, completem a descarga do produto em Antonina.

O objetivo é dar agilidade às operações e diminuir o tempo de espera das embarcações, oferecendo alternativa que diminua os custos das empresas armadoras, donas dos navios, e dos importadores de fertilizante. Com isso, os usuários podem escolher entre esperar a vez em Paranaguá para usar um dos dois berços que regularmente são exclusivos para a carga ou usar um terceiro berço, em que teriam preferência de atracação, e apenas iniciar a movimentação no Porto de Paranaguá, concluindo a operação em Antonina.

Segundo Lobo Filho, a medida terá validade até a realização das obras de dragagem, previstas para acontecerem até o fim do ano. Daremos início à dragagem de manutenção do canal de acesso ao terminal da Ponta do Félix, em Antonina, assim que obtivermos a licença ambiental. Será estabelecida profundidade de 9,5 metros e, com isso, não será necessária a descarga inicial em Paranaguá, explica o superintendente. Hoje, a profundidade no canal é de 7 metros e não permite a operação de navios cujo calado supere essa medida, como acontece quando estão com carga completa.

Vantagens - A expectativa da Appa é que a mudança diminua em até 40% o período que as embarcações aguardam na baía de Paranaguá (atualmente até 12 dias) e atraia os navios que estão na fila para atracação no porto de Santos. A economia com os gastos para manter uma única embarcação no mar, enquanto espera, pode chegar a US$ 40 mil por dia, dependendo do tipo e tamanho do navio.

A alteração na rota, que é muito pequena, já que os dois terminais estão muito próximos, será vantajosa, porque os usuários serão beneficiados com a redução do tempo de espera sem perder as vantagens logísticas que os portos públicos do Paraná oferecem, destaca o diretor do Porto de Antonina, Paulo Moacyr Rocha Filho. Antonina está a 40 quilômetros de Paranaguá, via rodovia, o que garante que as cargas sejam transportadas com facilidade para o interior ou para os armazéns de Paranaguá, completa.

O Terminal Portuário da Ponta do Félix, empresa privada que tem concessão para realizar movimentações em Antonina, prevê receber até 10 navios de fertilizantes por mês e se prepara para o aumento nas operações. Neste mês, receberemos um novo guindaste e uma série de equipamentos necessários para embarque e desembarque de graneis sólidos. Temos armazéns e toda estrutura de retaguarda pronta para atender à demanda, adianta o diretor-presidente, Luiz Henrique Tessuti Dividino.

Empregos A determinação deve promover aumento nas contratações de trabalhadores portuários e movimentar a economia de Antonina. De acordo com o prefeito Carlos Augusto Marchado, sindicatos ligados às atividades já se organizam e os comerciantes locais estão animados com as possibilidades de aumento nas vendas. Estimamos incremento de mais de R$ 1 milhão por mês, que devem dar fôlego novo ao comércio e ao setor de serviços, conta.

É um ciclo virtuoso de emprego e renda. Um único navio de fertilizantes gera centenas de empregos na descarga, no transporte e na armazenagem dos produtos. Esses trabalhadores comem nos nossos restaurantes, abastecem os caminhões nos nossos postos, compram nas nossas lojas. O dinheiro circula e mais pessoas são contratadas para atender nos restaurantes, postos e lojas, por exemplo, detalha o prefeito.

O departamento jurídico da Appa já analisa a possibilidade do pagamento do ISS (Imposto sobre Serviços) à prefeitura de Antonina, como é realizado em Paranaguá por determinação do governador Orlando Pessuti. A intenção é repassar parte da arrecadação tarifária do porto para o município.
Tags:
Fonte: Agência Est. de Notícias do PR

Nenhum comentário