Portos do país movimentam 9,6% a mais no 2º trimestre

Publicado em 27/09/2010 10:36
474 exibições
Os portos públicos e terminais de uso privativo brasileiros movimentaram 182 milhões de toneladas de carga no segundo trimestre de 2010, volume 9,6% superior ao verificado no mesmo período de 2009. Com isso, no primeiro semestre do ano, os portos brasileiros transportaram 344 milhões de toneladas de carga, superando em 11,7% a movimentação verificada nos primeiros seis meses do ano passado. Do total de cargas transportadas, dois terços foram movimentados em terminais portuários privativos, usados principalmente por grandes empresas exportadoras.

Os dados foram divulgados na semana passada pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). A Agência estima que a movimentação total de cargas em 2010 deverá atingir a marca de 760 milhões de toneladas, com crescimento de 3,8% com relação a 2009, quando os portos lidaram com 732 milhões de toneladas de cargas.

A própria agência ressalta, entretanto, que, mesmo com o crescimento, a atividade dos portos deverá ainda ficar aquém das 768,3 milhões de toneladas transportadas em 2008. Foi em setembro daquele ano que a crise internacional ficou mais aguda, com a quebra do banco americano Lehman Brothers, afetando fortemente o comércio internacional e, consequentemente, a atividade dos portos.

Santos

O balanço da Antaq leva em conta os principais portos marítimos brasileiros e alguns portos fluviais de maior movimentação como o de Manaus (AM).

O Porto de Santos, o maior do País, também teve crescimento de suas atividades. Segundo a Antaq, no segundo trimestre deste ano o porto movimentou cerca de 21,736 milhões de toneladas, um crescimento de 8% em relação às 20,123 milhões de toneladas de mercadorias registradas em igual período no ano passado. Segundo a Antaq, a movimentação de granéis sólidos nos portos brasileiros somou 108 milhões de toneladas no segundo trimestre do ano, sendo que o minério de ferro responde, sozinho, por metade desse volume.

A agência também destaca o crescimento na movimentação de contêineres e de granéis líquidos. Estes últimos estimulados pela movimentação de combustíveis.
Tags:
Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário