Ibama anuncia megaoperação para combater desmatamento na Amazônia

Publicado em 05/06/2019 21:56
453 exibições

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Ibama lançou nesta quarta-feira a maior operação de sua história para combater extração ilegal de madeira, que está acelerando o desmatamento na Amazônia, em meio a um aumento nas derrubadas de árvores desde que o presidente Jair Bolsonaro assumiu o cargo.

O Ministério do Meio Ambiente, que supervisiona o Ibama, disse que a agência de proteção ambiental enviou 165 agentes aos Estados do Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Roraima, apoiados por policiais militares e civis.

"O objetivo é esquadrinhar as regiões com maior concentração de ilícitos para conter a expansão dos danos ambientais", afirmou o órgão em comunicado.

O desmatamento na Amazônia registrou avanço em maio, atingindo o maior ritmo em uma década, segundo dados do Deter, sistema de satélites que monitoram o desmatamento no país. Para especialistas, a razão é um aumento na atividade madeireira ilegal, encorajada pelo enfraquecimento das proteções ambientais no governo Bolsonaro.

Plano de produção florestal é aprovado, prevê aumento de 20% em área até 2030

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério da Agricultura anunciou nesta quarta-feira a aprovação do Plano Nacional de Florestas Plantadas, que visa aumentar a área de produção de florestal do Brasil em 20% até 2030, em número que equivaleria a dois milhões de hectares.

De acordo com a pasta, o plano foi desenvolvido com o objetivo de dar segurança jurídica para o investimento na agricultura de origem florestal, que envolve, por exemplo, as indústrias de papel e celulose, siderurgia e madeira.

"O governo tem interesse em que se plante florestas e quer criar condições de segurança jurídica para que, quem quiser plantar ou aumentar seu plantio, faça da melhor forma possível", disse em nota o coordenador-geral de Apoio à Comercialização da Agricultura Familiar, João Fagundes Salomão, destacando o setor como uma associação entre agricultura e proteção ambiental.

O ministério aponta que, em 2016, a produção florestal gerou um valor bruto de 18,5 bilhões de reais, sendo a maior parte proveniente da silvicultura, e no ano seguinte representou 10 por cento das exportações agrícolas.

A aprovação da medida vem um dia após reportagem da Reuters apontar que, nos cinco primeiros meses do governo Jair Bolsonaro, o desmatamento acelerou, atingindo sua maior velocidade em mais de uma década, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Fonte: Reuters

Nenhum comentário