Alemanha promete 82 mi de euros para apoiar agropecuária sustentável no Brasil

Publicado em 02/12/2019 18:45 e atualizado em 02/12/2019 21:47
264 exibições

Os governos do Brasil e da Alemanha firmaram acordos de cooperação técnica e financeira para incentivar o desenvolvimento sustentável, informa o Ministério da Agricultura. Conforme a pasta, o aporte financeiro deve ser de 81,9 milhões de euros do governo alemão, sendo 40,4 milhões para projetos vinculados ao Ministério da Agricultura.

Os recursos deverão ser aplicados em bioeconomia (14 milhões de euros), proteção florestal, recuperação ambiental e reflorestamentos em pequenas propriedades rurais na Mata Atlântica (13,1 milhões), inovação nas cadeias produtivas da agropecuária na Amazônia (7,5 milhões) e implementação do Cadastro Ambiental Rural (5,8 milhões).

Representantes dos dois países reuniram-se, de 27 e 29 de novembro, no Ministério Alemão para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) em Bonn.

O secretário-adjunto de Comércio e Relações Internacionais do Ministério, Flávio Bettarello, disse que essas negociações sobre a cooperação bilateral ocorrem a cada dois anos e que os encontros não são focados "apenas na arrecadação de recursos financeiros e na cooperação técnica", mas também para "o alinhamento da visão sobre como os países podem trabalhar juntos".

Segundo o Ministério, esta é a primeira reunião do grupo durante o governo Jair Bolsonaro e que conta com a presença do Ministério da Agricultura brasileiro.

Alemanha aportará 82 mi de euros em desenvolvimento sustentável no Brasil (Reuters)

SÃO PAULO (Reuters) - Brasil e Alemanha assinaram acordos de cooperação técnica e financeira para incentivar o desenvolvimento sustentável, com aporte de 81,9 milhões de euros por ano pelo governo do país europeu, informou nesta segunda-feira o Ministério da Agricultura.

De acordo com nota da pasta, 40,4 milhões de euros serão destinados a projetos vinculados à agropecuária sustentável.

A maior parte dos recursos irá para o incentivo à bioeconomia (14 milhões de euros), enquanto proteção florestal, recuperação ambiental e reflorestamentos na Mata Atlântica receberão 13,1 milhões.

A Amazônia, cujas queimadas e aumento no desmatamento registrados neste ano causaram grande clamor internacional, receberá diretamente 7,5 milhões de euros, destinados à inovação nas cadeias produtivas da agropecuária da região, informou o ministério.

Segundo a nota, 5,8 milhões de euros serão destinados a atividades de implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Os acertos ocorreram em reunião entre representantes dos dois países em Bonn, na Alemanha, entre 27 e 29 de novembro.

(Por Gabriel Araujo; edição de Roberto Samora)

Fonte: Reuters

0 comentário