Código Florestal: CNBB se posiciona contra o relatório Aldo Rebelo

Publicado em 15/02/2011 18:03 1779 exibições
Em nota divulgada na tarde de ontem, a Conferencia Naciuonal dos Bispos do Brasil defende a manutenção do atual Código Florestal da forma como está redigido, e exorta aos produtores a "plantar árvores". Leia a nota na íntegra:
 
CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
Conselho Episcopal de Pastoral – 22ª Reunião
Brasília - DF, 17 a 19 de agosto de 2010
 
 
P – Nº 0677/10
 
Nota da CNBB em defesa do atual Código Florestal
 
 
A CNBB tem contribuído com a sociedade brasileira para a formação de uma consciência
ecológica e defesa do meio ambiente, especialmente por meio das Campanhas da Fraternidade. Em 1979, com o tema, Fraternidade e Meio Ambiente; em 2002, Fraternidade e Povos Indígenas; em 2004, Fraternidade e Água; e, em 2007, Fraternidade e Amazônia.

Neste momento, o Conselho Episcopal Pastoral da CNBB, reunido em Brasília/DF, torna
públicas suas preocupações diante da proposta de  alteração do Código Florestal Brasileiro (Lei nº
4.771 de 15 de setembro de 1965),  apresentada à apreciação da Comissão Especial da Câmara dos Deputados, no dia 09 de junho de 2010. 

A referida proposta anistia a todos os produtores rurais que cometeram crime ambiental até o
dia 22 de julho de 2008; desobriga a manutenção de reserva legal para propriedades de até quatro
módulos fiscais, que representam em torno de 90% dos imóveis rurais do Brasil; transfere a legislação ambiental para a esfera estadual e municipal.

 Desta forma, a legislação federal, flexibilizada, deixará de exercer o controle sobre os rios e os biomas (amazônico, cerrado, mata atlântica, caatinga, pantanal, pampa), permitindo a redução da preservação das matas ciliares e das faixas fluviais; e ameaçando as áreas de proteção permanente, como encostas acentuadas e topos dos morros.

Segundo parecer de renomados especialistas, o atual Código Florestal Brasileiro está baseado
no princípio da função social da propriedade, no uso sustentável do solo e na preservação do meio
ambiente, em consonância com a Constituição Federal. 

As alterações propostas, se aprovadas em definitivo, estarão em descordo com o compromisso
de redução de gás carbônico, assumido pelo governo brasileiro em Copenhague, em dezembro de
2009, e transformado na lei nº 12. 187/ 09 (Política Nacional de Mudanças Climáticas).

Coerentes com a tradição da CNBB em defesa do meio ambiente e promoção da vida,
reafirmamos nosso posicionamento contrário à aprovação das alterações mencionadas e propomos um amplo debate com a sociedade civil e com especialistas.

Incentivamos o engajamento de todos os cidadãos, no campo e na cidade, no processo de
preservação do meio ambiente, conscientes da importância e urgência de preservar a natureza,
mudando hábitos, por meio da educação ambiental, e realizando gestos concretos, como o plantio de árvores, utilização de material reciclável e eliminação de queimadas e desmatamento. 
 
Convocamos a todos a se empenharem, desde já, na promoção da Campanha da Fraternidade
de 2011, cujo tema é: Fraternidade e a vida no Planeta e o Lema: A natureza geme em dores de parto.

Sob a proteção de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil,
 
Brasília – DF, 19 de agosto de 2010   
 
Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana
Presidente da CNBB;
 
Dom José Alberto Moura, CSS
Arcebispo de Montes Claros - MG
Vice-Presidente da CNBB - Ad hoc;
 
Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro
Secretário Geral da CNBB
 

Fonte:
Ascom CNBB

15 comentários

  • sebastião maria moraes rodrigues Pato Branco - PR

    Para situações assim, existem termos como:cautela e virtude (procurar o meio termo). A CNBB, acredito eu, está apenas querendo chamar a atenção do reverso da moeda. O correto não é só o desmatar nem só o preservar. É hora de meditar e encontrar um meio termo que atenda aos dois interesses. "Cair de pau" encima da CNBB ou "cair de pau" encima do agronegócio não elucida a questão. A hora é de sensatez e não de abrir a porteira e soltar os bichos. Um negócio só é bom,quando os dois lados saem satisfeitos. Vamos discutir o assunto exaustivamente, pois dele depende a sobrevivência da espécie humana e a sobrevivência do planeta Terra. Sou produtor e sei que, se precisar ceder um pouco para atender ao bem comum, cederei.

    0
  • miguel nunes neto Guajará-Mirim - RO

    A CNBB deveria é produzir alguma coisa para os pobres se alimentar em vez de ficar dizendo lorota. A palavra preservar significa proteger, então vamos proteger o ser humano, dando a ele, comida, educação, saúde, ai, estaremos lutando para dias melhores para nós e para as gerações futuras. O produtor rural esta arcando com todo o onus da preservação, a sociedade é que deveria pagar, se quer preservação de florestas e animais, então toda a sociedade que pague, não somente nós produtores rurais, perseguidos, humilhados. Lembrem que o preço dos alimentos estão subindo e caso tenhamos que virar jardim zoológico dos países do primeiro mundo, vai subir ainda mais. Eles irão pagar pelos alimentos para sua população porque são ricos, mas os brasileiros irão cada dia ficar mais pobres. Todos nos, produtores rurais, vamos combater a ignorância e lutar para a aprovação no congresso nacional do novo codigo amibental brasileiro, porque esses ambientalistas ignorantes esquecem que a Lei 4.771/65 é fruto da época da ditadura e a maioria da parafernália de leis restantes nunca foram votadas no congresso nacional, sendo a mais prejudicial a sequencia de Medidas Provissorias, começando com a 1511 e terminado com 2166. E finalmente, quando o padre de sua paroquia pedir uma bezerra para a festa da igreja, dê a ele uma muda de uma árvore da floresta. Abaixo a ditadura ambiental. Viva o produtor rural. Viva o relatorio do Deputado Aldo Rebelo.

    Engenheiro Agrônomo Miguel Nunes Neto - Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Guajará Mirim - Rondonia.

    0
  • Roberto Pereira dos Santos Quirinópolis - GO

    ese negocio de preservaçao e tudo lorota ate hoje eu nuca vi um ongueiro o um anbientalista voltar a morar numa caverna !! eles si esquece tanbem estao contribuindo e muito com ese tal de destruir o planeta come todos os dias anadan de carro ousa todo tipo de regalias, mas nao . o coitado do produtor e o resposavel vamos todo mundo voltar pras cavernas que tal

    0
  • Roberto Pereira dos Santos Quirinópolis - GO

    eu nao so comtra que devemos preservar ! tudo bem mas pede para um bispo o um padre deixar de comer a carniha dele de tudos os dias o parar de andar no carinho dele o entao deixar de ir au banheiro . afinal ese povo que quer por toda maneira que o coitado do prudotor rural que manten ese pais de pe seja responsavel por todas as asneiras que ese povo das ongs cnbb e tantos outros prengan si esquece que tanbem sao os maiores poluidores tanta coisa que as ingrejas deveria si posicionar melhor coibindo tantos escandolos que diariamente vem nas manchetes de todos os jornais do pais .nao eles tanben quer dar um de ongueiros que pena

    0
  • Evandro José Kravec Aripuanã - MT

    É lamentável que uma instituição como a CNBB se posicione desta forma, aqui na minha região quando se faz festas da paróquia já saem pedindo de doação umas ( branquinhas ) se referindo as cabeças de gado , já que os bispos querem para nós plantarmos árvores então vamos doar a produção das árvores , castanha , pequi, jambo ....

    0
  • Carlos Roberto S. Corrêa Porto Alegre - RS

    João Batista.

    É difícil manter a serenidade diante da manifestação desta entidade que não entende absolutamente nada do assunto a não ser defender seus próprios interesses questionáveis...

    Deveriam cuidar de assuntos que "se dizem entendidos" além das atitudes de seus membros, pois com frequência lamentável acabam se envolvendo em fatos que acabam virando notícias.

    Sugiro ao amigo que busque uma entrevista com estes "senhores de batina" para que esta "máscara" também caia, não acha?

    Grande abraço e obrigado,

    Carlos Roberto.

    0
  • Luiz Prado Rio de Janeiro - RJ

    A CNBB NÃO SABE O QUE QUER E NEM DO QUE ESTÁ FALANDO, JÁ QUE AO MESMO TEMPO DEFENDE AS "POPULAÇÕES RIBEIRINHAS"....

    0
  • Paulo de Tarso Pereira Gomes Brazópolis - MG

    Eles deveriam se preocupar com a pedofilia dentro da Igreja Católica que estão espalhados em grande numero pelas paróquias do pais.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Mas o que é isso? O greenpeace manda até na CNBB? Meus prezados Dons mas Ignorantes Bispos! Por favor, leiam no Gênesis capitulo 1 versículos 29 e 30: E disse Deus Lhe darei a terra.. as ERVAS(Plantas ) e Florestas(árvores) para que lhe sirvam de sustento para vocês Homens e animais que habitarem a terra....,Foi a primeira vez que Deus falou em Sustentabilidade!!!! Por favor Bispos: respeitem quem está produzindo e preservando o meio ambiente e colocando na mesa de Vocês o sustento que Vocês e o Bando de Ambientalistas além de não produzirem nada, ainda desrespeitam que coloca o alimento na mesa de vocês! Vocês não sabem que a Comissão que Eslaborou o Novo Código Florestal realizou mais de 70 Audiências públicas em todo o País e vocês agora com a maior cara de pau vem convidar para discutir com a sociedade? O que é isso? Senhores Bispos! A Sociedade precisa que vocês se preocupem com o MEIO AMBIENTE ESPIRITUAL que precisa ser alimentado com a Fé, Acreditar em Deus. Será que bandido crê em Deus? serã que o pessoal da droga crê em Deus? Será que a falta de emprego aumenta a fé? Será que a falta de alimento é ecologicamente correto? Se quiserem discutir o assunto estamos prontos. Mas se após o nosso debate vocês quiserem se queixar para o Papa, se darão mal, pois o Papa já declarou apoio a quem produz alimentos, preservando o meio ambiente! E se vocês quiserem apresnder como se faz, Nos Produrem!

    Abraços.

    Almir Rebelo

    .

    0
  • Ana Freitas Fartura - SP

    Até tu, Brutus ? O pão e o vinho não nasce no altar não. Para a alma, a oração, para o corpo, o feijão. Não seria hora de refletir sobre as palavras "Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus?"

    0
  • Giovanni Rezende Colinas do Tocantins - TO

    A pastoral da terra incita a violência no campo. É contra o emprego e o capitalismo (apenas em paises do terceiro mundo). A teologia da libertação foi combatida, pois pregava a distribuição da riqueza da igreja, e a aproximação dos mais pobres, contra a acumulação de riqueza (a igreja católica tem muito dinheiro). Condenou Joana D'arc, e depois a transformou em Santa. Condenou Galileu Galilei, depois pediu desculpas. É contra o uso de preservativos, que protegem a vida, e falam em defesa da vida. Tampou o sol com peneira em relação aos abusos sexuais de padres, depois retrocedeu de forma "Estratégica", pois não havia como ignorar mais os fatos em todo o mundo. DEVERIA CUIDAR E ZELAR PELA MORAL E PELA ESPIRITUALIDADE. O Estado do Vaticano fica na Europa. Comecem essa campanha por lá, e deixem de ser incoerentes. Estamos no século XXI. "Cada macaco no seu galho". A produção de alimentos é uma forma de defesa da vida. Palavras pela metade, levam a interpretações erroneas.

    0
  • Marcio Antonio Cezarotto Santarém - PA

    Ia esquecendo de um post especialíssimo sobre a Igreja. Já foi denunciado na Cam Fed em 1985. Dêem-se um tem a ler:http://www.alertatotal.net/2008/06/christian-church-world-council-exposio.html

    http://imagem.camara.gov.br/dc_20.asp?selCodColecaoCsv=D&txPagina=2467&Datain=13/08/1987&seq=316979

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Deus salvai os ignóbes pois será deles o reino de Deus. Esta "estória" de que os ignorantes não tem culpa está muito mal contada. PADRES geralmente versados e letrados em filosofia, teologia e vernáculo podem ser ignóbeis fiéis dos mentirosos ambientalistas? Se não for lícito manter fatos do passado, hoje incorretos, por acaso a Igreja vai "REVER" as famosas INQUISIÇÕES do passado? Quem tem telhado de vido é bom não jogar pedras no telhado dos outros...

    0
  • Marcio Antonio Cezarotto Santarém - PA

    Quanta balela!! Ninguém tem CORAJEM de GRITAR: Façamos igual ao resto do mundo, se o "meio ambiente" que tornou-se apenas as plantações, que seja tratado da mesma forma por todo o planeta, do contrário por que até os pedófilos tem que palpitar?! Que tal o Vaticano ter que recompor 80% como propôe para a AMAZÔNIA? Por que, se as reservas e parques e etc..., se são do Br, exportam madeira para estes saqueadores. O Brasil de hoje é um fiasco, disute o que nem é possível. Se a AMAZÔNIA é nossa por que só serve pros europeus?! Ave Deus, como eu gostaria que os N. AMERICANOS invadissem esta terra e fizessem o que deve ser feito! Por pra produzir, pois se mato fosse bom eles estariam plantando. Brasileiro é uma Coisa de dar dó, ou nojo?!!!

    0
  • Jose Eduardo da fonseca Sismeiro Goioerê - PR

    Sou Católico,apostólico, romano e praticante.Não concordo com posições que não deixam produzir alimentos.O MUNDO passa fome,isto não quer dizer que vamos distruir tudo,isto quer dizer que vamos pensar em uma forma de produzir mais sem devastar.

    0