Ministro da Agricultura garante subvenção para combater queda do preço do milho em MT

Publicado em 14/06/2012 16:02 952 exibições
Produtores de milho do Estado de Mato Grosso obtiveram a garantia do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, de que o ministério divulga nesta quinta (14) o edital para contratos de opção ao grão, atendendo a reivindicação do setor.  A reunião entre os presidentes da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Carlos Fávaro, e da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Glauber Silveira, com Mendes Ribeiro foi realizada em Brasília na tarde de quarta (13) e contou com a articulação do governador de Mato Grosso, Silval Barbosa.

A audiência contou ainda com a presença dos deputados federais Homero Pereira – presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Carlos Bezerra, e do suplente de deputado federal, Neri Geller, além dos presidentes da Acrimat e da Ampa.

De acordo com dados apresentados pelo presidente da Aprosoja Mato Grosso, Carlos Fávaro, a safra de milho tem se tornado uma preocupação dos produtores, já que a produção praticamente dobrou entre a safra passada e a atual. Em 2011 foram produzidas sete milhões de toneladas de milho, enquanto neste ano o volume já atingiu 13,5 milhões, com expectativa de alcançar os 15 milhões de toneladas.

“Mato Grosso foi contemplado com um clima favorável, que levou a uma produção surpreendente, mas agora os produtores precisam desse auxilio para não ter prejuízos. Acreditamos que essa é uma oportunidade do governo recompor os estoques de milho e ainda contribuir com os produtores do estado”, afirmou Carlos Fávaro ao ministro Mendes Ribeiro e a equipe da Secretaria de Políticas Agrícolas do MAPA.

As opções são contratos derivativos que permitem a transferência do risco de oscilação de preços do produtor ou comprador de uma commodity para outro agente do mercado, mediante o pagamento de um prêmio.

O diretor da Aprosoja Mato Grosso e produtor rural em Sinop, Antonio Galvan, calcula que o valor ideal para sustentar os preços seria de R$ 15/saca, que contribuiria para assegurar o custeio da próxima safra. Na opinião de Galvan, dificilmente Mato Grosso repetirá a supersafra de milho deste ano, por causa da alta dos preços insumos. "Os gastos com sementes foram de R$ 300 por hectare nesta safra e já estão em R$ 500 para a próxima. O preço do adubo também subiu 30%", diz ele.

Na audiência também ficou acertado subvenção do governo para leilões de PEP de escoamento do milho de Mato Grosso para outras regiões do país, com a finalidade de abastecer o mercado interno. No edital do MAPA também serão publicas as regras para o prêmio, que é uma subvenção econômica concedida àqueles que se disponham em adquirir o produto indicado pelo Governo Federal, diretamente do produtor rural ou por meio de cooperativa, promovendo o escoamento para alguma região de consumo previamente estabelecida.

NOVAS MOLÉCULAS - Outra reivindicação dos dirigentes durante a reunião foi com relação à liberação, ainda este ano, de licença para utilização de novas moléculas para fungicidas. Segundo informações do presidente da Aprosoja Brasil, Glauber Silveira, na safra 2011/12 de soja os produtores mato-grossenses tiveram uma perda de mais de um milhão de toneladas por causa da incidência da Ferrugem Asiática. Para Carlos Fávaro, não se trata de defender multinacionais detentores das tecnologias, mas uma garantia de produtividade aos produtores rurais, uma vez que o fungo causador da doença pode ter criado resistência aos produtos existentes no mercado.

O ministro se prontificou a avaliar a situação, e afirmou que foi criada uma câmara no MAPA para avaliar a situação.
Tags:
Fonte:
Aprosoja

2 comentários

  • jose renato da silva Uberlândia - MG

    MINISTRO GARANTE CONTRATO DE OPÇÃO PARA COMBATER QEUDA DE PREÇOS DE MILHO. MAS O QUE SE SABE ATE AGORA É QUE O GOVERNO CONTINUARÁ SOMENTE COM LEILAOES DE VEP COMO VEM OCORRENDO. ESPERAR PARA VER. TOMARA QUE O MINISTRO NAO GARANTA TARDE DEMAIS.

    0
  • SERGIO SCAPIN Braço do Norte - SC

    OLA, MUITO BOA NOITE! GOSTARIA DE FAZER UM BREVE COMENTARIO SOBRE A MATERIA. PRIMEIRAMENTE PARABENIZO AOS PRODUTORES PELA INICIATIVA DE BUSCA DE ESTABILIDADE DE PREÇO EM SEU PRODUTO; SEGUNDO PARABENIZO AOS REPRESENTANTES DO GOVERNO POR TENTAR RESOLVER O PROBLEMA. MAS GOSTARIA SO DE SALIENTAR QUE PRIMEIRO, É POR CAUSA DO ALTO CUSTO DO GRAO QUE O PRODUTOR DE SUINO DE SANTA CATARINA ESTA DESAPARECENDO, AI NOSSOS "REPRESENTANTES" POUCO ESTAO FAZENDO, E AGORA AO INVES DE TRABALHAREM PARA NOSSOS PRODUTORES DE GRAOS PRODUZIREM COM CUSTOS MAIS BAIXOS, VAO TENTAR TRAVAR A SOBREVIVENCIA DA SUINOCULTURA????NAO SERIA MELHOR BAIXAR O PREÇO DOS INSUMOS, PARA QUE AMBOS OS SETORES PUDESSEM SOBREVIVER? OU SERA QUE DAQUI A POUCO NAO VAI TER MAIS CONSUMO DESSA GRANDE E MARAVILHOSA PRODUCAO DE GRAOS DO NOSSO PAIS???VAMOS PENSAR NO AGRONEGOCIO GERAL, E NAO POR ATIVIDADE....

    UM GRANDE ABRAÇO AOS LEITORES...

    0