Publicidade

Pecuarista mineiro prejudicado pela seca obterá milho em condições facilitadas

Publicado em 04/04/2013 15:52 348 exibições
O produto, adquirido em leilões pela Conab, será oferecido a preço acessível. Aquisições estão limitadas a 3 mil sacas por criador
No período de abril e maio, os criadores das regiões mineiras consideradas em estado de emergência por causa da seca poderão adquirir milho em condições facilitadas. Está prevista a entrega de 280 mil sacas do grão adquiridas pela Conab em leilões. A decisão foi anunciada na quarta-feira (3), durante reunião na Casa Civil da Presidência da República, que contou com a participação do Governo de Minas, por intermédio do secretário adjunto de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Paulo Romano.

Os pontos de entrega do milho no Estado, já propostos, serão os municípios de Montes Claros, Januária, Janaúba, Salinas, Pirapora, Almenara e Teófilo Otoni, informa Romano. “A Conab está na coordenação das operações, e um dos critérios para a venda é a limitação das aquisições em até 3 mil sacas por comprador, que pagará um preço da ordem de R$ 18,12 por saco, portanto inferior ao preço de mercado”, acrescenta.

A reunião na Casa Civil foi o começo de uma discussão de medidas emergenciais para resolver o problema do abastecimento de milho destinado à produção animal nas áreas afetadas pela seca no semiárido brasileiro, diz Romano. Conforme o secretário adjunto, a solução apresentada no encontro responde aos pedidos formulados por sindicados e associações de produtores mineiros à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

Romano considera que as medidas relacionadas ao abastecimento de milho em condições especiais aos produtores são mais um passo para dar suporte às atividades nas áreas atingidas em Minas. Ele lembra que o Governo do Estado já adotou uma medida importante, ao zerar o ICMS para as vendas de animais vivos, atendendo ao propósito de evitar perdas nas propriedades de agropecuária, onde já é grande o risco de morte de animais.

O secretário adjunto também diz que a Seapa indica, para médio prazo, o fomento do plantio de palma forrageira (cáctus) já utilizada no Nordeste do Brasil e no México para a alimentação de ruminantes. Trata-se de uma planta rústica, com grande capacidade de retenção de água, que é importante para a manutenção dos animais nos períodos críticos. “Esta será uma estratégia bem-sucedida para a manutenção dos rebanhos do semiárido mineiro”, prevê Romano.

Publicidade

Ele ainda observa que o plantio de sorgo deve ser fomentado como alternativa para o milho, porque também é nutritivo e resistente à seca.

União de forças

A reunião na Casa Civil teve a participação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com a presença do ministro Pepe Varga. Também participaram as secretarias de Agricultura de Minas, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão.

Tags:
Fonte:
Agência Minas de Notícias

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário