Soja e milho fecham em campo positivo com dados altistas do USDA

Publicado em 10/01/2014 17:15 2411 exibições

Depois da divulgação dos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), os negócios com a soja na sessão regular desta sexta-feira (10) terminaram em campo positivo. os ganhos dos principais vencimentos foram de 4,75 a 7,50 pontos e o contrato referência para a safra do Brasil, maio/14, fechou o dia valendo US$ 12,60 por bushel, subindo 5 pontos. 

Os ganhos foram reflexo dos dados trazidos pelo USDA que indicaram uma manutenção dos estoques finais de soja norte-americanos em 4,08 milhões de toneladas, além de ter estimado maiores exportações do país. As estimativas para as vendas passaram de 40,14 milhões de toneladas, do boletim de dezembro, para 40,69 milhões. Paralelamente, uma alta esperada para a safra da Argentina não se concretizou e permaneceu em 54,5 milhões de toneladas. 

Segundo explicou Carlos Cogo, consultor de mercada da Consultoria Agroeconômica, o mercado observa uma situação de estoques ainda muito apertados nos Estados Unidos, bem como de uma demanda que segue bastante firme. 

"Os estoques norte-americanos estão muito apertados, muito parecidos com os do ano passado. Além disso, houve o aumento dos números de exportação, com quase todo o volume estimado - 40,69 milhões de toneladas - já contratado", explicou o consultor. 

Frente a isso, Cogo acredita que, passada a pressão de uma grande safra da América do Sul, o mercado da soja permanecerão sustentados e que os produtores brasileiros encontrarão melhores oportunidades de venda. "O volume de soja contratado e embarcado é muito grande. A demanda está forte e deve continuar forte", completa Cogo. 

Milho - O mercado do milho também encerrou os negócios em Chicago em alta e os ganhos foram de mais de 20 pontos nos primeiros vencimentos. O contrato março/14, o mais negociado no momento, fechou com mais de 5% de alta. "Se encerra um período de projeções de baixas para o mercado do milho depois desses números do USDA", diz Carlos Cogo. 

Enquanto o USDA aumentou a produção de soja, reduziu a de milho de 355,34 milhões de toneladas, estimadas em dezembro, para 353,71 milhões de toneladas. Os estoques também caíram de forma significativa, totalizando 41,03 milhões de toneladas, contra as 45,53 milhões de dezembro. 

O consultor afirma também que o aumento das estimativas para o a produção de etanol também é um fator positivo para o mercado. O USDA aumentou suas projeções para o cereal no uso de etanol de  125,74 milhões para 127,01 milhões de toneladas. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário