Milho: Diante da preocupação com o clima no Brasil, preços operam em alta

Publicado em 26/02/2014 12:27 684 exibições

Nesta quarta-feira (26), os contratos do milho negociados na BM&F trabalham do lado positivo da tabela. As preocupações com o clima em importantes regiões produtoras de milho permanecem sendo o principal fator de suporte aos preços no mercado futuro e interno. O tempo seco comprometeu boa parte da safra de verão, principalmente, nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

Somente no Vale do Paranapanema (SP), as perdas na produtividade das lavouras na primeira safra podem ser superiores a 60%. A evolução do plantio da safrinha também sendo comprometido pelas adversidades climáticas, uma vez que, em algumas localidades, como o Oeste do Paraná, as chuvas ainda são esparsas e em alguns municípios de Mato Grosso já decretaram estado de emergência em função do excesso de precipitações.

Em muitas regiões, o período ideal de plantio já se encerrou ou termina no final dessa semana. No entanto, produtores relatam que, mesmo com o risco climático maior,  irão fazer a semeadura do grão após esse prazo, pois as sementes e insumos já foram adquiridos. Para o consultor de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, mais da metade da safrinha poderá ser plantada fora da janela ideal.

Já a demanda pelo produto permanece aquecida no mercado interno, porém os agricultores estão mais cautelosos nas vendas. Ainda na visão consultor, a oferta de milho ainda é baixa e o espaço para baixas nos preços é pequeno, em virtude, dos problemas climáticos. Para o analista de mercado da Safras & Mercado, Paulo Molinari, as vendas estão abaixo do volume costumeiro, especialmente, no mercado da região Sudeste. 

"É um ano que ficou aberto em relação aos preços, nos últimos anos, os embarques de milho brasileiro estão crescendo, os exportadores estão com preços abertos para junho, julho e agosto.  Há uma competição entre mercado interno e mercado externo", ressalta Molinari. 

As principais posições do milho negociadas na BM&F registram valorizações de pouco mais de 0,15%. O contrato março/14 é negociado a R$ 34,00. Já no mercado físico, os preços giram em torno de R$ 35,50 em Campinas (SP) CIF, em Campo Mourão (PR) a R$ 27,00. 

Em Chicago, os futuros do milho operam com leves ganhos nesta quarta-feira (26). Por volta das 1209 (horário de Brasília) as principais posições da commodity exibiam altas entre 0,50 e 1,00 pontos. O contrato março/14 era negociado a US$ 4,56 por bushel.

A situação climática no Brasil e na Argentina permanece sendo observadas pelo mercado internacional de grãos, assim como, a crise política e econômica na Ucrânia, dando suporte aos preços futuros. Além disso, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou  nesta quarta-feira a venda de 101.600 toneladas de milho norte-americano para destinos não revelados. O volume deverá ser entregue durante a temporada 2013/14.

Ainda de acordo com analistas, o mercado ainda busca se consolidar depois das projeções iniciais de aumento na produção de milho nos Estados Unidos na temporada 2014/15 e na redução da área cultivada. As informações foram divulgadas na última semana, durante o Fórum Anual Outlook. 

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário