Milho: Apesar do cenário positivo, preços operam com ligeiras quedas em Chicago

Publicado em 07/04/2014 09:06 e atualizado em 07/04/2014 13:03 591 exibições

Nesta segunda-feira (7), as cotações do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) operam com leves baixas. Apesar da queda, as principais posições da commodity se mantinham próximas de US$ 5,00 por bushel. Por volta das 8h39 (horário de Brasília), os contratos exibiam quedas entre 0,75 e 2,25 pontos. O vencimento maio/14 era cotado a US$ 4,99 por bushel.

Segundo analistas, os fundamentos do mercado de milho permanecem positivos. Frente à redução na área cultivada com o cereal na próxima safra 2014/15 norte-americana, conforme apontou o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), a demanda pelo produto continua aquecida.

Além disso, as especulações sobre o clima no país começam a ganhar força e ser observada pelos investidores. E caso as previsões climáticas não sejam favoráveis, poderá comprometer a evolução da semeadura do milho nos EUA. Enquanto isso, a produção da América do Sul também é observada pelos participantes do mercado.

Veja como fechou o mercado nesta sexta-feira (4):

Milho: Fundamentos prevalecem e preços fecham pregão com ligeiras altas

As cotações futuras do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) fecharam o dia com leves altas. Ao longo das negociações, as principais posições da commodity reverteram as perdas e terminaram a sessão com ganhos entre 5,25 e 1,75 pontos. O vencimento maio/14 encerrou cotado a US$ 5,01, valorização de 0,35% em relação ao último pregão.

Nesta sexta-feira (4), os preços futuros foram sustentados pelos fundamentos que ainda permanecem positivos. De acordo com a analista em agronegócio da Céleres Consultoria, Aline Ferro, a demanda internacional pelo milho norte-americano continua aquecida. O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou nesta quinta-feira que as exportações semanais somaram 960.600 toneladas até a semana encerrada no dia 27 de março.  "Além disso, os investidores acreditam que a área cultivada com o milho na safra 2014/15 nos EUA possa apresentar um recuo ainda maior do que o anunciado pelo USDA, de 37,11 milhões de hectares", explica Aline.

Para compor o cenário, com o início do plantio nos EUA, as especulações sobre o clima no país começam a ganhar força. Ainda na visão da consultora, esse é um dos principais fatores que deverão exercer influência nos preços em Chicago. Caso as previsões climáticas não sejam favoráveis, poderá prejudicar o avanço do plantio do milho norte-americano.

O clima na América do Sul também é observado pelos investidores. No Brasil, a safra de milho verão apresentou uma perda na produtividade das lavouras, em função da falta de chuvas e altas temperaturas. A safrinha também enfrentou problemas e boa parte da safra foi cultivada fora da janela ideal. Já na Argentina, a expectativa é que haja uma redução de 11% na safra, segundo informações divulgadas pela Bolsa de Cereais.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário