Milho: Mercado ainda reflete números do USDA e amplia perdas em Chicago

Publicado em 10/04/2014 12:59 691 exibições

Nesta quinta-feira (10), as cotações futuras do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) trabalham do lado negativo da tabela. Ao longo das negociações, as principais posições da commodity ampliaram as perdas e, por volta das 12h29 (horário de Brasília) registravam perdas de mais de 6,50 pontos. O vencimento maio/14 era cotado a US$ 4,95 por bushel.

Apesar dos fundamentos positivos, o mercado ainda reflete os números divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) nesta quarta-feira. O órgão reportou um aumento na produção mundial do cereal, que passou de 966,63 milhões de toneladas para 973,9 milhões de toneladas.

A produção brasileira também registrou uma elevação frente ao anunciando no mês de março e foi projetada em 72 milhões de toneladas. Os participantes do mercado esperavam um recuo na estimativa da safra do país, para 69,8 milhões de toneladas.

Além disso, os fracos números das exportações semanais reportadas pelo USDA nesta quinta-feira também contribuem para pressionar negativamente os preços em Chicago. Até a semana encerrada no dia 03 de abril, as exportações da safra 2013/14 somaram 658.700 toneladas, número bem inferior ao registrado na última semana, de 960.600 toneladas. O percentual representa uma redução de 30% frente à média das últimas quatro semanas.

Em contrapartida, para a safra 2014/15, as exportações totalizaram, no mesmo período, 58.000 toneladas, contra 37.900 toneladas na semana anterior, segundo informações do departamento norte-americano. 

De acordo com o analista de mercado da New Agro Commodities, João Pedro Corazza, com o cenário positivo, a tendência é que cotações futuras em Chicago operem próximas de US$ 5,00 por bushel. Por outro lado, o clima nos Estados Unidos também será um fator importante e influenciará os preços do cereal, já que, se as condições forem desfavoráveis poderá atrasar o plantio da safra 2014/15 nos EUA.

BMF&Bovespa

Os principais contratos do milho negociados na BMF&Bovespa trabalham em campo misto nesta quinta-feira. Neste momento, os produtores rurais estão focados na comercialização da soja, consequentemente, a negociação da safra de milho segue em ritmo lento e as vendas são pontuais. 

Segundo analistas, os agricultores que têm o produto seguram à espera de preços melhores. A situação também se repete no mercado físico, mas, apesar do cenário, a tendência para este ano é de preços mais altos do que os registrados no ano anterior, uma vez que, as empresas brasileiras terão que pagar mais pelo produto, já que, as ofertas de milho ainda são pequenas.

Frente a esse quadro, a expectativa é que os produtores brasileiros ainda tenham boas oportunidades para negociar a produção de milho. Nesta quinta-feira, a saca do cereal é negociada a R$ 32,00 em Campinas (SP) CIF, em Campo Mourão (PR) a R$ 27,50, já em Rondonópolis (MT), o valor da saca é de R$ 24,00. Em Unaí (MG), a saca é negociada a R$ 26,00, já em Mineiros (GO) a R$ 24,50.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário