Milho: Mercado fecha o dia em queda e perde o patamar de US$ 5,00 por bushel

Publicado em 12/05/2014 16:25 430 exibições

Nesta segunda-feira (12), os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) fecharam o pregão do lado negativo da tabela. As principais posições da commodity ampliaram as perdas durante as negociações e fecharam o dia com quedas entre 6,75 e 8 pontos. O vencimento julho/14 perdeu o patamar de US$ 5,00 por bushel e fechou o dia cotado a US$ 4,99 por bushel.

Durante a sessão, os futuros da commodity foram pressionados pelos números do relatório de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), divulgado na última sexta-feira (9). O órgão reportou um aumento nos estoques do grão para a safra 2014/15, tanto nos EUA, estimado em 43,8 milhões de toneladas, como mundial, de 181,73 milhões de toneladas.

A produção norte-americana também foi revisada para cima e deverá totalizar 353,9 milhões de toneladas na próxima temporada, apesar do recuo nas áreas plantada e colhida. Do mesmo modo, a safra global deverá somar 979,08 milhões de toneladas na safra 2014/15.

Além disso, frente às altas registradas na semana passada, no pregão da última terça-feira (6) o vencimento julho/14 fechou cotado a US$ 5,17 por bushel, o mercado realizou lucros à espera de novo boletim de acompanhamento de safras. A expectativa dos participantes do mercado é que o plantio tenha apresentado um avanço expressivo na última semana, já que as condições climáticas foram favoráveis.

De acordo com o consultor de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, os produtores norte-americanos ainda têm duas semanas para finalizar a semeadura do grão. "Mas se o número indicado pelo USDA ficar abaixo de 40% podemos ter preços mais altos. E caso as condições climáticas voltem a ficar desfavoráveis podemos ter uma transferência de área, situação que pode ser favorável ao cereal, mas negativa para a soja", ressalta.

Ainda nesta segunda-feira, o USDA reportou novo boletim de inspeções de exportações dos EUA. Para o milho, os embarques somaram no mesmo período 1.199,44 milhão de toneladas, contra 1.239,41 milhão de toneladas reportadas na última semana. No acumulado no ano safra, o total embarcado é de 30.435,79 milhões de toneladas e a estimativa do órgão é de 48.300,00 milhões de toneladas.

BMF&Bovespa

Na BMF&Bovespa, as cotações futuras do milho trabalham em queda nesta segunda-feira (12). Segundo o relatório da ODS Serviços em Agronegócios, os preços passam por uma correção técnica, frente a forte alta que ocorreu desde outubro de 2013. Desde meados de maio, os preços têm apresentado um recuo decorrente da desvalorização do dólar e do bom desenvolvimento das lavouras de milho safrinha no Brasil.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário