Milho: Mercado opera em queda após altas registradas na sessão anterior

Publicado em 20/06/2014 08:51 408 exibições

As principais posições do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) operam com ligeiras quedas no pregão desta sexta-feira. Por volta das 8h23 (horário de Brasília), os contratos exibiam perdas entre 1,00 e 1,75 pontos. O vencimento julho/14 era negociado a US$ 4,48 por bushel.

Os preços futuros voltam a recuar, após as altas de mais 8 pontos registrados na sessão anterior. Nesta quinta-feira, o contrato julho/14 encerrou o pregão cotado a US$ 4,50, com alta de 9 pontos. As cotações foram impulsionadas pela menor disponibilidade da oferta, já que os produtores norte-americanos estão segurando as vendas à espera de preços melhores, conforme informações das agências internacionais.

Em contrapartida, as cotações em patamares mais baixos acabam estimulando a demanda pelo produto, especialmente pelo setor de rações e da produção de etanol. Segundo o site norte-americano Agweb informou que a produção de etanol de milho teve uma forte alta na semana passada, para 972 mil barris por dia. Com isso, o preço do etanol caiu para seu menor patamar em seis semanas.

Já as exportações semanais de milho dos EUA referentes à safra 2013/14, ficaram em 109 mil toneladas até a semana encerrada no dia 12 de junho. O volume está abaixo do registrado na semana anterior, de 409,7 mil toneladas, segundo informações do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Para a safra velha, a última estimativa do USDA é de que sejam vendidas 48.260,0 milhões de toneladas e, até o momento, já foram contabilizadas 46.666,8 milhões de toneladas. 

Para a safra 2014/15 foram de 78,9 mil toneladas e ficaram abaixo do registrado na semana anterior, quando foram vendidas 105,5 mil toneladas.

Safra 2014/15

Até o momento, o clima tem sido favorável ao desenvolvimento das lavouras norte-americanas. Inclusive, esse tem sido um dos principais fatores de pressão nos preços nas últimas semanas. De acordo com o USDA, cerca de 76% das plantações apresentam boas ou excelentes condições, melhor classificação das plantas desde junho de 1994. E a expectativa é de produção recorde, de 353,97 milhões de toneladas de milho nesta temporada.

Do mesmo modo, a produtividade está estimada em 174,95 sacas por hectare, entretanto, com o clima favorável, a expectativa dos participantes do mercado é que o órgão reporte um aumento na estimativa nos próximos relatórios. Entretanto, segundo informações da agência internacional de notícias Bloomberg, há especulações no mercado de que as chuvas previstas poderão reduzir o rendimento das culturas no país. 

As precipitações previstas nos próximos dias em partes de Iowa, Nebraska, Dakota do Sul e Minnesota, se confirmadas, poderão até inundar alguns campos. Ainda segundo a Bloomberg, as chuvas nos próximos quatro dias, deverá aumentar a área que enfrenta clima adverso no país. 

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário