Mapa autoriza nova verba para AGF do milho

Publicado em 01/10/2014 15:47 336 exibições

Diante das solicitações da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) para garantir o preço mínimo do milho ao produtor, além das operações de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), a entidade conseguiu mais uma vitória junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa): um novo recurso foi liberado para Aquisição do Governo Federal (AGF).
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anunciou na noite desta terça-feira (30) a liberação de R$ 7 milhões que serão destinados para a compra do grão, o que deve acontecer de imediato. A verba será gasta na aquisição de cerca de 20 mil toneladas do grão, só em Goiás.

Para realização da venda o produtor tem que depositar e classificar o milho em um dos armazéns da Conab ou em galpões credenciados pelo órgão. O grão deve ser adquirido pelo preço mínimo de R$17,67 - a saca de 60 kg.

Por se tratar de um volume pequeno, as operações serão realizadas em um curto espaço de tempo. O produtor que se interessar deve entrar em contato com a Conab.

Para o consultor técnico do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) Goiás, Pedro Arantes, a liberação da verba representa mais um passo importante em prol do produtor, “tendo em vista que em várias regiões de Goiás, o produtor está vendendo a saca do grão por um preço abaixo do mínimo, o que compromete sua renda, dado que estes preços ficam abaixo dos custos de produção”.

Pepro

O Mapa comunicou que serão realizados outros dois leilões de milho no estado de Goiás. A notícia foi dada durante visita de uma comitiva da Faeg, nesta terça-feira (30), que esteve em Brasília para falar sobre a AGF do feijão.

Mesmo sem a publicação do edital, os próximos leilões do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (PEPRO) de milho deverão ser realizados ainda no mês de outubro, dependendo do comportamento dos preços no mercado. As quantidades são da ordem de 150 mil toneladas, cada um. Os dados ainda serão confirmados pela Secretaria de Políticas Agrícolas do Mapa.

Para o vice-presidente institucional da Faeg, Bartolomeu Braz, a realização de mais leilões é de extrema importância, já que o produtor vive em um momento em que observa-se uma oferta muito grande de milho e a pressão dos preços para baixo por parte da agroindústria. "O produtor tem que saldar seus compromissos da 2º safra e acaba tendo que diminuir os preços. Ficamos muito felizes com a atitude do governo em atender a demanda da Faeg, que solicitou a continuação dos leilões".

Histórico

No dia 18 de setembro 100 mil toneladas de milho foram leiloadas no estado de Goiás com objetivo de garantir o preço mínimo do milho aos produtores rurais. Além de Goiás, os leilões foram realizados para os estados de Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins. Além disso, o produto não pode ser escoado para a Região Sul, Sudeste (exceto Rio de Janeiro, Espírito Santo e norte de Minas Gerais), Centro-Oeste, além de Bahia, Maranhão, Piauí, Sergipe, Pará, Rondônia e Tocantins.

Também foram realizados outros dois leilões (20 e 28 de agosto), onde foram ofertados e negociados, ao todo, 150 mil toneladas de milho em Goiás. A oferta total do cereal, nos dois dias, foi de 2,8 milhões de toneladas, sendo negociados mais de 2,536 milhões de toneladas, a maioria proveniente do estado do Mato Grosso.

Pepro

O Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) é um mecanismo estabelecido pelo Governo Federal, fruto da chamada Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM). É uma subvenção econômica concedida ao produtor rural que se disponha a vender o produtor por uma diferença entre o Preço Mínimo (R$ 17,67 em Goiás) e o valor do Prêmio Equalizador estabelecido em leilão, lançado quando o preço de mercado estiver abaixo do preço mínimo.

Tags:
Fonte:
Faeg

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário