Milho: Na BM&F, preços recuam no pregão desta 2ª feira, mas tendência é de alta a médio prazo

Publicado em 24/11/2014 12:22 e atualizado em 24/11/2014 17:49 382 exibições

Nesta segunda-feira (24), os futuros do milho na BM&F Bovespa operam do lado negativo da tabela e dão continuidade ao movimento de queda, após as altas expressivas registradas recentemente. Por volta das 12h08 (horário de Brasília), as principais posições do cereal exibiam perdas entre 0,86% e 1,95%. O vencimento março/15 era cotado a R$ 31,41 a saca.

Nos últimos dias, o mercado tem sido pressionado pelo andamento negativo do dólar. A indefinição sobre a nova equipe econômica do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff contribui para pressionar a moeda norte-americana. Hoje, o dólar iniciou o dia em queda, mas reverteu as perdas ao longo da manhã.

De acordo com o analista de mercado da Novo Rumo Corretora, Mário Mariano, a má distribuição dos estoques devido às exportações, que foram maiores nos últimos meses, indicou uma tendência de médio prazo de alta. "Isso, por conta da má distribuição de plantio e os estoques locais", explica o analista.

Paralelamente, a demanda pelo produto brasileiro e da Argentina permanece aquecida, uma vez que o cereal está mais barato que o grão norte-americano. "Já a oferta está restrita por conta do atraso no plantio da soja no Brasil e, por consequência, a possibilidade de redução na área do cereal na segunda safra", afirma Mariano.

Com isso, o analista destaca que, devido à possibilidade de redução de oferta no segundo semestre, as indústrias anteciparam as compras para aumentar os estoques de passagem em 2015. Frente a esse quadro, Mariano orienta que os produtores façam vendas escalonadas e aproveitem os picos de altas nos preços.

"Porém, não é recomendado realizar vendas exageradas no curto prazo, pois ainda não sabemos qual será a janela ideal de plantio do milho safrinha. Por conta do atraso na soja, é provável que o tempo esteja a favor do agricultor, principalmente nos meses de janeiro e fevereiro, portanto, ainda temos para observar", acredita o analista.

Bolsa de Chicago

Ao longo dos negócios desta segunda-feira (24), os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) reverteram parte das perdas e opera bem próximo da estabilidade. Por volta das 12h51 (horário de Brasília), os principais contratos da commodity registravam ligeiras perdas entre 0,50 e 0,75 pontos. O vencimento dezembro/14 era cotado a US$ 3,72 por bushel, após ter iniciado a sessão a US$ 3,70 por bushel.

Os investidores já começam a se posicionar para o feriado do Dia de Ação de Graças, que será comemorado na próxima quinta-feira (27). Além disso, os investidores também aguardam o relatório de embarques semanais, que será reportado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) nesta segunda-feira. O boletim é um importante indicador de demanda e também pode influenciar os preços da commodity. 

Já no final da tarde, o órgão irá divulgar os números do andamento da colheita do milho nos Estados Unidos. Até a última semana, cerca de 89% da área já havia sido colhida. Em contrapartida, os preços do grão têm operado de maneira técnica, respeitando o patamar de resistência de US$ 4,00 por bushel, conforme destacam os analistas. Ainda assim, a expectativa é que as cotações tentem quebrar esse nível.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário