Milho: Mercado mantém tom positivo e estende ganhos ao longo da sessão desta 2ª feira na CBOT

Publicado em 18/05/2015 13:27 e atualizado em 18/05/2015 17:38
220 exibições

Durante os negócios desta segunda-feira (18), os futuros do milho estenderam os ganhos na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições do cereal exibiam altas entre 4,00 e 4,25 pontos, por volta das 13h07 (horário de Brasília). O vencimento julho/15 era cotado a US$ 3,69 por bushel.

De acordo com informações de agências internacionais, o mercado é sustentado por um movimento técnico de cobertura de posições vendidas. Nesse momento, os investidores aguardam o boletim de acompanhamento de safras do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que será reportado no final da tarde de hoje.

Os investidores apostam no plantio completo em 83% da área prevista para essa temporada. "O número deverá ficar à frente do ritmo normal e suficiente para aliviar os temores de que os atrasos, observados no início do plantio, poderiam prejudicar as perspectivas para a produção", disse Bryce Knorr, do site Farm Futures. Na semana anterior, o cultivo estava completo em 75% da área.

O noticiário internacional também destaca que há ocorrência de neve em partes da Dakota e Minnesota nesta segunda-feira. Contudo, os possíveis danos à cultura do milho não deve ser significativa, uma vez que boa parte da safra já foi cultivada. Até o momento, as lavouras do cereal, em sua maioria, têm recebido bons volumes de chuvas e as previsões climáticas ainda indicam precipitações nos próximos dias no Meio-Oeste dos EUA.

Paralelamente, o mercado ainda aguarda o boletim de embarques semanais, divulgado pelo departamento norte-americano. Na semana passada, os embarques totalizaram 1.135,90 milhão de toneladas, contra 1.051,07 milhão de toneladas indicadas anteriormente.

Além disso, as fortes altas observadas no mercado do trigo também acabam dando suporte aos preços do cereal. Na semana passada, o trigo já deu sustentação às cotações do milho no mercado internacional. Por volta das 13h07 (horário de Brasília), os contratos da commodity exibiam ganhos de mais de dois dígitos na CBOT.

Mercado interno

No mercado interno brasileiro, as cotações do milho permanecem pressionadas negativamente. Segundo dados do Cepea, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa, referente à região de Campinas (SP), recuou 1,36% entre o período de 8 e 15 de maio, terminando a última sexta-feira a R$ 25,28 a saca de 60 kg.

Os valores ainda sentem a pressão das perspectivas de uma boa segunda safra no Brasil. Em meio às condições climáticas favoráveis, a safrinha poderá somar 50 milhões de toneladas, conforme já estimam os analistas e consultorias.

Com isso, o mercado acaba se tornando mais favorável aos compradores, que observam a evolução da segunda safra. Consequentemente, os negócios com o cereal estão mais lentos nesse momento.

Tags:
Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário