Milho segue em Chicago sem fundamentos fortes para o mercado se posicionar fora da estabilidade

Publicado em 26/09/2017 09:57
184 exibições

A colheita do milho está atrasada nos Estados Unidos, o rendimento está em recuo até o momento e o cereal já amadurecido é menor que na campanha anterior, mesmo assim os futuros na Bolsa de Chicago (CBOT) estão em leve queda nesta manhã de terça (26). Há uma certa pressão da demanda, embora os analistas não apostam decisivamente nisso ao longo do dia.

Os investidores, em dúvida há várias sessões, estão praticando para baixo o dezembro, às 9h55, a US$ 3,53, com variação 0,50 ponto, e o março a US$ 3,66, 0,50 ponto igualmente.

Segundo dados do USDA, cerca de 11% da safra de milho dos EUA foi colhida a partir de domingo, atrás da média quinquenal anterior para esta época do ano de 17%. E os relatórios de rendimento são menores no Kansas e em partes de outros estados importantes, como Illiniois.

Apenas 51% do milho dos EUA está pronto, atrás da média de 64%, disse o governo americano.

Os inventários de milho na campanha de comercialização  até 31 de agosto deverão aumentar para 2,35 bilhões de bushels, enquanto em 2016 foi de 1.737 bilhões no ano anterior. Espera-se que o lançamento no final da campanha de comercialização atual seja constante em 2,335 bilhões de bushels.

BM&F Bovespa

Os negócios com os futuros de milho seguem em baixa na BM&F Bovespa, com os aplicadores testando, por enquanto, o tempo quente e seco no Brasil atrapalhando as previsões, que já eram baixas, para o milho verão.

Enquanto o estoque da safrinha vai ficand menor.

O novembro estava em 0,98%, R$ 30,58, e o janeiro -1,60%, R$ 31,98.

 

Tags:
Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário