Cotações do milho ficam praticamente inalteradas na Bolsa de Chicago; mercado interno tem pressão baixista

Publicado em 03/05/2019 17:13 e atualizado em 05/05/2019 18:19
379 exibições

LOGO nalogo

A sexta-feira (03) chega ao final com leves altas para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram movimentações entre 0,25 e 1,00 ponto.

O vencimento maio/19 foi cotado à US$ 3,63, o julho/19 valeu US$ 3,70 e o setembro/19 foi negociado por US$ 3,77.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços do milho diminuíram durante a maior parte da sexta-feira, mas acabaram com ganhos fracionários em algumas compras técnicas atrasadas que estenderam a atual recuperação. Os futuros de julho encerraram a semana em alta de 2,6%, com os comerciantes continuando a se preocupar com uma safra norte-americana plantada tardiamente.

Lances de milho foram estritamente misturados sexta-feira, movendo-se 2 centavos acima em um elevador de Ohio e um centavo mais baixo em um processador de Iowa hoje. As licitações na maioria das localidades do meio-oeste permaneceram estáveis.

Em entrevista exclusiva ao Notícias Agrícolas, o zootecnista da Scot Consultoria, Rafael Ribeiro de Lima, pontou que as cotações internacionais seguem com poucas movimentações enquanto o cenário é de incertezas para os grãos, como milho e soja. Para de Lima, as indefinições sobre uma resolução na Guerra Comercial entre China e Estados Unidos e sobre a definição de clima e plantio americano são o que deixam os vencimentos com poucas flutuações.

Mercado Interno:

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, as desvalorizações apareceram somente nas praças do Oeste da Bahia (2,96% e preço de R$ 32,75), Porto Paranaguá (3,13% e preço de R$ 31,00) e Sorriso/MT disponível (5% e preço de R$ 19,00).

As valorizações foram percebidas em Brasília/DF (3,57% e preço de R$ 29,00) e Sorriso/MT balcão (5,88% e preço de R$ 18,00).

Veja como ficaram as cotações nessa sexta-feira:

>> MILHO

De acordo com o zootecnista da Scot Consultoria, o mercado interno do milho vem registrando desvalorização nas referências há dois meses e a expectativa é que essa pressão de baixa nas cotações deve seguir até agosto. Atualmente, dois fatores estão influenciando nessa queda das cotações que é a expectativa de aumento na produção e as condições climáticas favoráveis para a safrinha.

“Na realidade, essas quedas nos preços já estavam ocorrendo desde março, sendo que a partir de abril foram registrados recuo ao redor de 12% no acumulado do mês e dependendo da região”, afirma.

Acompanhe a íntegra da entrevista sobre o mercado de milho:

>> Milho registra dois meses de desvalorizações no mercado interno e tendência deve seguir até agosto

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • WELLISTON FRANK TEIXEIRA DOUTOR CAMARGO - PR

    Noroeste do Paraná já registra perdas expressivas devido a falta de chuvas durante o mês de Abril. Muitas áreas acumulam perdas acima de 30%.

    0