Turbulência na relação EUA-China pressionam os preços do milho em Chicago nessa quinta-feira

Publicado em 09/05/2019 12:15 e atualizado em 09/05/2019 17:15
162 exibições
Grãos caíram durante o dia, enquanto as tensões entre os Estados Unidos e a China aumentavam

LOGO nalogo

As desvalorizações dos preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT) se intensificaram ao longo dessa quinta-feira (09). As principais cotações registravam quedas entre 5,25 e 8,50 pontos por volta das 12h05 (horário de Brasília).

O vencimento maio/19 era cotado à US$ 3,50, o julho/19 valia US$ 3,55 e o setembro/19 era negociado por US$ 3,64.

Segundo análise de Tony Dreibus da Successful Farming, os grãos caíram durante o dia, enquanto as tensões entre os Estados Unidos e a China aumentavam.

O presidente Donald Trump disse que a China "quebrou o acordo" entre as duas maiores economias do mundo, razão pela qual os EUA decidiram aumentar as tarifas para 25%, ante US$ 200 bilhões em mercadorias chinesas a partir da próxima sexta-feira.

Pequim, enquanto isso, disse que vai retaliar se Washington avançar com seu plano de aumentar as arrecadações. O vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, está em Washington para novas negociações hoje.

A China está totalmente preparada para defender seus interesses na guerra comercial com os Estados Unidos, mas espera que os EUA possam resolver os problemas através do diálogo em vez de medidas unilaterais, disse nesta quinta-feira o Ministério do Comércio chinês, conforme informações da Agência Reuters.

Confira mais informações sobre as declarações chinesas:

>> China diz estar totalmente preparada para defender seus interesses em guerra comercial

B3

Já a bolsa brasileira caminha em sentido contrário, com as principais cotações registrando leves valorizações entre 0,64% e 1,28% por volta das 11h55 (horário de Brasília).

O vencimento maio/19 era cotado à R$ 32,46, o julho/19 valia R$ 31,30 e o setembro/19 era negociado por R$ 31,80.

De acordo com a Agrifatto Consultoria, apesar do reajuste para cima da projeção para a produção do milho, os preços futuros iniciam o pregão hoje com altas. A movimentação técnica eleva os valores futuros até seus limites gráficos, e os preços devem exibir certa resistência em supera-los.

 

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário