Guerra Comercial se acirra e desvalorização no milho ganha força em Chicago

Publicado em 13/05/2019 12:16 e atualizado em 13/05/2019 17:11
468 exibições

LOGO nalogo

A Bolsa de Chicago (CBOT) sentiu a intensificação das desvalorizações nos preços internacionais do milho futuro ao longo desta segunda-feira (13). As principais cotações registravam quedas entre 4,25 e 5,00 pontos por volta das 12h02 (horário de Brasília).

O vencimento maio/19 era cotado à US$ 3,37, o julho/19 valia US$ 3,47 e o setembro/19 era negociado por US$ 3,56.

Segundo informações da Agência Reuters, as cotações do milho sentem o impacto dos últimos desdobramentos da disputa comercial entre Estados Unidos e China, absorvendo o reflexo das mais recentes declarações dos líderes das duas maiores potências mundiais.

Nesta segunda-feira a China informou que irá aumentar tarifas sobre US$ 60 bilhões em produtos chineses em 1º de junho, segundo informado pela agência internacional de notícias Bloomberg. Cerca de 2,493 mil itens terão suas taxas elevadas para 25%, de acordo com informações do site do governo chinês. 

O anúncio oficial fala ainda de aumentos que podem variar de 10 a 25% e que produtos que são taxados em 5% não sofrerão mudanças em uma resposta ao unilateralismo e ao protecionismo comercial. “A China espera que os EUA voltem ao trilho certo das negociações de um comércio bilateral, trabalhando junto com a China para que encontre o país na metade do caminho para um acordo que seja mutualmente benéfico, com respeito, igualdade e ganhos para ambos”.

Ao mesmo tempo, o presidente americano Donald Trump havia alertado a China para não retaliar contra o aumento nas tarifas que ele impôs na semana passada.

"Eu digo abertamente ao presidente Xi e a todos os meus muitos amigos na China que a China será afetada com força se vocês não fizerem um acordo, porque as empresas serão forçadas a deixar a China e ir para outros países. Caro demais comprar na China. Vocês tinham um ótimo acordo, quase finalizado, e voltaram atrás", disse Trump.

Confira mais informações sobre a Guerra Comercial entre EUA e China:

>> Guerra comercial China x EUA se intensifica com novas ameaças de ambos os lados

B3

Já a bolsa brasileira segue tendência oposta e opera com leves ganhos para o milho. As principais cotações registravam valorizações entre 0,32% e 0,79% por volta das 11h46 (horário de Brasília).

O vencimento maio/19 era cotado à R$ 33,02, o julho/19 valia R$ 31,25 e o setembro/19 era negociado por R$ 31,80.

A Agrifatto Consultoria aponta que, ao final da última semana, as negociações se registraram mais aquecidas nos portos brasileiros para a exportação do cereal, com os prêmios em Paranaguá subindo 3 pontos para US$ 26,00/bushel.

A elevação dos prêmios também estimula a negociação da ponta vendedora, e dada a perspectiva de safrinha cheia, o desempenho da exportação será fundamental para equilibrar as cotações domésticas.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário