Chuvas nos EUA sustentam Bolsa de Chicago para ganhos do milho nesta segunda-feira

Publicado em 20/05/2019 12:21 e atualizado em 20/05/2019 16:58
261 exibições

LOGO nalogo

A Bolsa de Chicago segue apresentando valorização para os preços internacionais do milho futuro nessa segunda-feira (20). As principais cotações registravam altas entre 4,50 e 5,00 pontos por volta das 12h08 (horário de Brasília).

O vencimento julho/19 era cotado à US$ 3,88, o setembro/19 valia US$ 3,95 e o dezembro/19 era negociado por US$ 4,02.

Segundo análise de Tony Dreibus da Successful Farming, as cotações foram maiores no comércio da madrugada à medida que mais tempo chuvoso se move para o meio-oeste e as planícies americanas, o que impedirá que os produtores plantem em vários estados.

No leste de Iowa e no norte de Illinois, as chuvas estão previstas para esta noite, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia. Junto com mais atrasos no plantio, as chuvas também podem piorar as inundações na região, disse a agência. Mais precipitação é esperada até terça à noite.

Apenas 30% do milho dos Estados Unidos foi semeado a partir da semana passada, em comparação com a média anterior de cinco anos de 66%, disse o USDA.

Saiba mais sobre as chuvas nos EUA:

>> Seleção de fotos mostra dificuldade de produtores avançarem com plantio nos EUA

B3

A bolsa brasileira também segue essa tendência e registra ganhos para o milho, com as principais cotações subindo entre 2,20% e 2,8% pontos por volta das 12h22 (horário de Brasília).

O vencimento julho/19 era cotado à R$ 35,70, o setembro/19 valia R$ 36,74 e o novembro/19 era negociado por R$ 38,30.

De acordo com a Agrifatto Consultoria, os preços futuros do milho iniciaram a semana com novas valorizações, com alta mais expressiva para o contrato de novembro/19.

“O câmbio fortalecido e os dados de exportações semanais alimentam a perspectiva de mercado internacional aquecido, enquanto o clima nos EUA gera dúvidas sobre a oferta mundial. Portanto, as variações para a moeda norte-americana nesta semana, e atualização das exportações deverão ser fundamentais para conduzir as cotações em bolsa”, dizem os analistas.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário