Colheita do milho vai a 42% na Argentina e Bolsa de Buenos Aires indica melhora nas produtividades

Publicado em 23/06/2022 15:28

Logotipo Notícias Agrícolas

A Bolsa de Cereais de Buenos Aires (BCBA) divulgou seu informe semanal trazendo novas perspectivas para a safra de milho argentina 2021/22. Os dados levantados pelos técnicos da BCBA apontam que 42,3% das lavouras do país já foram colhidas e mantêm a projeção de produção em 49 milhões de toneladas, depois de reduzir das 51 estimadas inicialmente.     

“Durante a última semana a colheita dos lotes de milho destinados ao grão comercial concentrou-se no norte e oeste da área agrícola nacional. A queda na umidade dos grãos, aliada à conclusão da colheita dos quadros de soja de segunda ocupação, permitiram aumentar a velocidade do trabalho”, diz o relatório.    

A publicação ainda desta que, até aqui, a produtividade média registrada para as lavouras de milho no país é de 116,67 sacas por hectare. 

“As produtividades pesquisadas mantêm uma grande heterogeneidade, mas em alguns casos superam os valores obtidos na colheita de praças precoces. Particularmente nos departamentos das províncias de Córdoba, Buenos Aires e Santa Fe, registram-se rendimentos de lotes tardios próximos a 141,67 sc/ha”. 

Olhando para as condições de cultivo, o relatório aponta que 16% das lavouras estão com avaliações boas ou excelentes, 59% como médias e 25% ruins. De acordo com as condições hídricas, 56% das lavouras são consideradas ótimas ou adequadas e 44% como regulares ou secas.    

qualidade das lavouras milho argentina BCBA

No relatório da semana anterior, esses índices eram de 17% das lavouras boas ou excelentes, 59% médias e 24% ruins. Além de 60% das lavouras consideradas ótimas ou adequadas em relação às condições hídricas e 40% como regulares ou secas. 

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário