Perspectivas de milho continuam indefinidas em Mato Grosso

Publicado em 15/01/2010 08:45 1469 exibições
A perspectiva para o milho mato-grossense safra 2009/2010 continua indefinida. Os estoques de passagem do Estado ultrapassam os 4 milhões de toneladas, 1,4 milhão ainda com os produtores, e, aproximadamente 2,7 milhões/t nos estoques públicos das duas últimas safras. Esse montante equivale à 47% do milho produzido na 2ª safra 2008/2009.  A projeção da 2ª safra 2009/2010 ainda não está clara: em torno de 1,5% da soja foi colhida, (92 mil hectares), mas o espaço está sendo usado para o plantio da segunda safra do algodão. Os dados são do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Na primeira semana de janeiro Rondonópolis registrou o maior índice de comercialização por saca, com R$ 10,10 para oferta de compra e R$ 10,60 no pedido de venda. Na sequência vem Canarana, com R$ 9,50 (compra) e R$ 10,10 (venda). Campo Verde registrou R$ 9,40 (compra) e R$ 9,80 (venda). Primavera contabilizou R$ 9,10 para oferta de compra e R$ 9,60 no pedido de venda.

Em Lucas o preço solicitado pelos produtores pela saca de milho foi de R$ 8,50, o valor oferecido ficou na casa dos R$ 7,60, queda de R$ 0,30. Tangará da Serra fechou em R$ 7,50 (compra) e R$ 8,60 (venda). Sorriso e Sapezal iniciaram com a menor cotação do Estado: R$ 7,10 (compra) e R$ 8,50 (venda).

Até novembro de 2009 o Estado exportou 4 milhões de toneladas, o que equivale à 61% de todo o milho exportado pelo país no período. A quantia também representou um acréscimo de 43% em relação às vendas de 2008. Mesmo assim e com a grande quantidade de milho ainda em estoques a previsão de preço para 2010 não foi definida.

Tags:
Fonte:
SóNotícias

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário