Área de milho será 6,3% menor na região de Maringá/PR

Publicado em 12/03/2010 09:47 506 exibições
A área de milho plantada nos 29 municípios da região de Maringá deverá ser de 158 mil hectares na segunda safra do ano agrícola 2009/2010. Em relação ao mesmo período do ano passado, quando a área dedicada ao milho foi de 168.543 ha, a redução deverá ser de 6,3%, segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab).

De acordo com a Deral, os principais fatores que explicam a redução na área com milho são os custos de produção elevados, cenário de preços pouco remuneradores e o risco inerente à cultura – secas ou geadas no inverno.

Os produtores de milho deverão ter uma margem de lucro muito estreita. O Deral estima que, para produzir uma saca de 60 kg do grão, seja necessário o gasto de R$ 11,46 em custos variáveis ou de R$ 16,07 em custos operacionais – considerando um cenário de produtividade de 4,2 mil kg/ha. O custo total, entre o patamar variável e o operacional, varia na medida em que o produtor adiciona inovações tecnológicas ou estende a própria margem de lucro.

Considerando qualquer dos parâmetros de custo apontados pelo Deral, o preço do cereal mal cobre as despesas e, em alguns cenários, é inferior ao investimento
realizado. Ontem, a cotação média da saca no Paraná era de R$ 14,11 e havia sofrido redução de 0,07% em relação ao dia anterior.

O preço médio da saca em Maringá era ainda menor: R$ 13,60. O menor preço no Estado foi registrado em Curitiba, onde a saca era cotada a R$ 13. O maior preço foi encontrado na região de Ponta Grossa: R$ 15,50.

O cenário de preços não é favorável ao produtor no curto prazo. “A perspectiva é de uma boa safra de milho no mundo todo. Os preços não deverão se alterar como os produtores esperavam”, afirma o economista Ricardo Lopes, do Departamento de Economia da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Lopes aponta que o nível atual de preços, cerca de 15% inferior ao registrado em março do ano passado, deve-se a entrada expressiva do cereal no mercado.

“Tivemos uma colheita surpreendente, que colocou o Paraná na liderança nacional da produção de milho”, acrescenta.

Com mais grãos no mercado, o preço deverá sofrer queda ainda maior. A produção mundial de milho, estimada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), deverá passar de 791,5 milhões de toneladas em 2009, para 797,8 milhões em 2010. Os maiores produtores mundiais são os Estados Unidos (334,05 milhões de toneladas), China (155 milhões), União Europeia (55,77), Brasil (51) e México (22).

O Deral estima que, mesmo com uma área 6,3% menor, a produtividade do milho nos 29 municípios do núcleo regional de Maringá poderá proporcionar um volume 18,6% maior nesta safrinha. Na temporada 2008/2009, foram colhidas 546,1 mil toneladas de milho. A estimativa para a temporada 2009/2010 é de 647,8 mil toneladas.

Em todo o Estado, a área plantada de milho na safrinha deverá sofrer redução de 9% em relação ao ano interior, com diminuição de 1,52 milhão de hectares para 1,39 milhão. O Deral estima uma produção 35% superior ao ano passado, quando o Estado sofreu com intensa estiagem e colheu 4,48 milhões de toneladas. Em 2010, considerando que o Paraná não sofra com secas e geadas, são esperados 6,04 milhões de toneladas.

Tags:
Fonte:
Diário do Norte

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário