Área de milho recua, mas produção cresce

Publicado em 07/04/2010 10:55 452 exibições
A produção de milho na região dos Campos Gerais/PR deve chegar na safra de Verão 2009/10 a 1,215 milhão de toneladas, apesar do recuo de 27,4% na área cultivada na relação com o ciclo anterior. Isso graças às condições climáticas, que favoreceram a cultura. A produtividade já chega a 9 mil quilos por hectare, em média, montante superior à safra passada quando chegou a 6,6 mil quilos por hectare.

Segundo o engenheiro agrônomo do Departamento de Economia Rural (Deral), José Roberto Tosato - do núcleo regional da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab) em Ponta Grossa - os bons resultados obtidos pelos produtores com o cultivo do milho até agora são resultantes das condições climáticas favoráveis - diferentemente do que ocorreu no ano passado - e também do uso de tecnologia. "O produtor levou para o campo o que existe de mais moderno para a cultura, com o uso de ótimas sementes e herbicidas", explica.

Do total cultivado neste ano, cerca de 135 mil hectares - o que significa um recuo de 27,4% na comparação com o ciclo passado quando chegou a 186 mil hectares - aproximadamente 80% da área já foi colhida em Ponta Grossa e região. Segundo Tosato, a estimativa inicial dos produtores era de colher 1,080 mil quilos por hectare, mas com o verão chuvoso - fator determinante para ótimas produtividades - o rendimento médio do milho já chega a 9 mil quilos por hectare, podendo, conforme observa o engenheiro, ser ainda maior. "Com isso a produção deve somar 1,215 milhão de toneladas", diz. Tosato diz que os números superam as expectativas iniciais e que no ano passado os resultados foram bastante diferentes dos esperados pelos produtores, já que as duas estiagens registradas em novembro e dezembro de 2008 e em fevereiro e abril do ano passado afetaram a cultura. "Os produtores esperavam que a produtividade chegasse a 7,8 mil quilos por hectare, mas com as condições climáticas adversas chegou a 6,6 mil quilos por hectare, resultando numa produção de 1,2 milhão de toneladas", finaliza.

Milho para exportação
Dos 135 mil hectares cultivados de milho na região cerca de 80% já foram colhidos até agora, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral). Deste total, segundo o engenheiro agrônomo, José Roberto Tosato, a maior parte tem boa qualidade e o teor de ardido está entre 2 a 5% , o que não afeta a exportação. Na Cooperativa Agrícola Mista (Coopagrícola) a qualidade do milho é boa na visão do coordenador operacional da Coopagrícola, Marcelo Borsato. No ano passado, cerca de 10% da total colhido pela cooperativa foi para exportação e o restante atendeu o mercado interno. "O normal, como ocorreu nos anos anteriores, é que metade seja para o mercado interno e o restante para o externo", explica.

Tags:
Fonte:
Jm News - Jornal da Manhã

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário