Novo padrão oficial de classificação do milho requer atenção da classe produtora

Publicado em 28/04/2010 17:19 3110 exibições

Com o objetivo de ampliar a divulgação e obter maior contribuição do setor produtivo na reformulação e atualização do novo padrão de classificação do milho no País, o setor de fiscalização da Classificação Vegetal da Superintendência Federal de Agricultura no Mato Grosso do Sul (SFA/MS), alerta sobre a existência da consulta pública do novo padrão do milho, instituída pela Portaria MAPA nº 04, de 06.01.2010 e solicita maior participação dos produtores e responsáveis técnicos de empresas ligadas ao setor. Segundo o FFA Yoshio Fugita, responsável pelo setor na SFA, restam poucos dias para encerramento da consulta pública e o recebimento de sugestões para o novo padrão de classificação do milho. “Participe e não se omita. Suas sugestões são importantíssimas, e não pense que alguém fará isso por você", finalizou Fugita.

 

Em vigor há 34 anos, o padrão atual do milho foi oficializado por meio da Portaria MA nº 845/1976 e logicamente encontra-se defasado, não atendendo a contento às necessidades e exigências do mercado. Desta forma, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), está promovendo a reformulação e atualização do Projeto (minuta).

 

O padrão oficial de classificação de um produto vegetal, afeta diretamente a vida de todos os Brasileiros. Entretanto, durante a fase em que a minuta do futuro padrão é colocada em consulta pública, a maioria dos diferentes agentes do mercado não se manifesta por escrito, e quando o padrão é publicado e institucionalizado, surgem reclamações por parte daqueles que produzem, beneficiam, processam, manipulam, armazenam, industrializam, importam e comercializam o produto, alegando desconhecimento das mudanças no padrão oficial de classificação.

 

No caso do padrão do milho a discussão é ainda maior, porque o produto é usado como matéria prima na produção de alimentos para animais; na produção de óleo de milho refinado; e de uma forma geral, na composição de uma infinidade de outros produtos industrializados destinados à alimentação humana.  Para ampliar a percepção da importância do padrão oficial do milho na vida e no dia a dia do cidadão, quem é que nunca comeu milho pipoca, no cinema, assistindo futebol, ou em situações de lazer e de descontração?

 

Se você é parte integrante do agronegócio do milho, desde o produtor do milho até o consumidor final, ou de uma forma mais ampla, se você trabalha com milho, seja pessoa física ou jurídica, e quer contribuir com sugestões e idéias, encaminhe-as para a Fiscal Federal Agropecuário Karina Fontes Coelho Leandro, Chefe da Divisão de Normas Técnicas, da Coordenação Geral de Qualidade Vegetal do Departamento de Inspeção de Produtos Vegetais, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Tags:
Fonte:
MS Aqui

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário