Terceiro leilão de milho (PEP) terá mudanças para o MT

Publicado em 11/06/2010 05:03 339 exibições

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) publicou no final da tarde
desta quinta-feira (10.06) o aviso para o terceiro leilão de milho, marcado
para a próxima quinta-feira 17.06). A oferta pública será feita por meio do
Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) e 600 mil toneladas para o estado de MT,
como ocorreu nos dois primeiros leilões. Foram feitas alterações nos valores
dos prêmios para as regiões 4, 5 e 6 de Mato Grosso e a pasta também ampliou
o prazo para a comprovação das operações (venda e escoamento para outros
estados ou para a exportação). O prazo estabelecido anteriormente para a
prestação de contas era de até 4 meses após a realização do leilão e agora
passa a ser de 5 meses.

Na quarta-feira (09.06), o presidente da Associação dos Produtores de Soja e
Milho de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Glauber Silveira, e o diretor
administrativo da entidade, Carlos Fávaro, entregaram ao ministro Wagner
Rossi, um ofício solicitando mudanças. 

Mato Grosso ainda tem uma quantidade de soja da safra 2009/2010 que está
sendo escoada e como o estado tem limitações por conta da infraestrutura de
logística de transporte e armazenagem, o escoamento quase que simultâneo do
milho e da soja fica praticamente inviável.

“O escoamento do milho será feito de maneira plena somente após a retirada
de grande parte da soja. O ministro compreendeu a situação e mais uma vez
mostrou que está atendo ao que está acontecendo no mercado”, afirma Glauber.

Para a região 4 o valor da saca de 60 kg passou de R$ 4,62 para R$ 5,64,
para a região 6 saiu de R$ 2,64 para R$ 3,54 e para a região 5 o prêmio
passou de R$ 5,04 para R$ 3,54.

O aviso do leilão também trouxe esclarecimento quanto à localização para
originar o prêmio. Para efeito da comprovação, o prêmio será estabelecido
pela origem (localização) da propriedade e não pelo destino do produto.

A tranqüilidade com que estão ocorrendo os leilões de milho em Mato Grosso,
do ponto de vista legal, também foi tema do encontro no Mapa, na
quarta-feira. Diferente do que ocorreu no ano passado, quando foram
constatados indícios de irregularidades por parte de algumas empresas, este
ano as ofertas públicas estão sendo realizadas sem esses tipos de problemas.

“A Aprosoja e os sindicatos rurais estão acompanhando de perto as operações
e não hesitaremos em denunciar ao Ministério Público tanto empresas quanto
produtores que vierem a tentar burlar as regras”, avisa Glauber.

Para o diretor administrativo da Aprosoja/MT, Carlos Fávaro, essa união de
forças em prol do bom andamento dos leilões, seja relacionada às questões de
prêmios e prazos ou ao cumprimento das regras, é fundamental. “Estamos em um
momento em que precisamos que tudo ocorra dentro da normalidade para que o
produtor possa comercializar a safra de milho deste ano”, ponderou.

Ainda na reunião com Rossi, onde participaram também parlamentares, o
endividamento voltou à pauta. O ministro e o secretário-executivo da Pasta,
Gerardo Fontelles, informaram que o Mapa já encaminhou ao Ministério da
Fazenda a proposta para prorrogar o pagamento das parcelas das operações de
crédito que vencem este ano. A expectativa é que na próxima semana a área
econômica do governo dê uma posição sobre o pleito.

A reunião contou com a participação dos deputados Homero Pereira, Luiz
Carlos Heinze, Moreira Mendes e Odacir Zonta.

Tags:
Fonte:
Ascom Aprosoja

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário