Criadores de Igatu/BA denunciam venda irregular de milho da Conab

Publicado em 26/07/2010 08:06 319 exibições
Produtores cadastrados estariam recebendo milho da Conab e vendendo para comerciantes em Iguatu
Criadores de bovinos, ovinos e suínos, nesta cidade, denunciam venda de milho adquirido na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) por produtores cadastrados para comerciantes locais ou para outros criadores não cadastrados no órgão. Não há fiscalização e a prática prejudica aqueles que necessitam do produto.

No comércio local de Iguatu, a saca de 60 quilos de milho em grão é vendida por R$ 25,00, mas na Conab a mesma quantidade é comprada por produtores rurais cadastrados por R$ 22,14. Esse quadro favorece o mercado paralelo. O número de criadores cadastrados triplicou no órgão e alguns adquirem o grão apenas com o objetivo de revender com margem de lucro de R$ 3,00 por saca.

A falta de fiscalização e o crescimento da demanda regional por milho favorecem o desvio da mercadoria. Na semana passada, a Conab reduziu no Ceará a quota de venda do grão para os criadores, como foi informado, nesta terça-feira no Diário do Nordeste. A decisão administrativa adotada tem por objetivo manter o estoque do produto por mais tempo para atender parcialmente a demanda. Cada produtor agora tem direito a comprar por mês, 50 sacas de 60 quilos.

Os produtores que denunciaram a comercialização ilegal de milho adquirido na Conab preferem não se identificar. "Os comentários correm solto na cidade de que há produtores cadastrados que estão vendendo milho para comerciantes, atravessadores ou para outros produtores", disse um criador. "O correto era que a Conab pudesse fiscalizar e verificar se a pessoa cadastrada cria determinada quantidade de animal ou não".

Na região, um criador confirmou que comprou recentemente 200 sacas de 60 quilos de milho por R$ 25,00 cada uma, de um terceiro. "Isso sempre aconteceu e é de difícil fiscalização porque o mercado é livre", disse o produtor, que confessou a aquisição. A prática irregular prejudica os cadastrados que necessitam do produto para alimentar rebanho próprio.

No Armazém da Conab nenhum funcionário quis comentar o assunto. O gerente de Operações da Conab, Afonso Couras, está viajando a Brasília, onde participa de reuniões e treinamento por toda esta semana.

Falta de milho

Mas, diretores da Unidade Pecuária Iguatuense (Upeci) estão mobilizados para conseguir da Conab a aquisição de mais milho para atender a demanda local. Associados da Upeci receberam informações da Conab que a maior dificuldade é o transporte do produto de outras regiões para o Nordeste.

A entidade se reuniu com o prefeito de Iguatu, Agenor Neto, com o objetivo de que ele solicite, junto à Conab, uma solução para aquisição de mais milho para atender os criadores locais. O diretor da Upeci, José Paulino Neto, comentou que, em contato com gerente de Operações da Conab, Afonso Couras, a maior dificuldade, no momento, era a contratação de frete para o transporte de grãos para o Ceará. Entretanto, a Upeci aguarda uma solução rápida, tendo em vista que a Conab prevê que o estoque de milho vai acabar na primeira quinzena de setembro.

Seca

No primeiro semestre deste ano, não houve praticamente produção de milho por causa da seca que atinge o sertão cearense. Em média, a frustração da safra do grão chegou a 90%. No armazém da Conab em Iguatu, estão estocados 412 toneladas de milho e na unidade de Icó, 430 toneladas. Nos últimos dois meses, a demanda triplicou. Não houve praticamente produção do grão por causa da seca que atinge o sertão cearense.

A cultura de milho foi a mais atingida segundo relatórios de perda de safra das secretarias de agricultura dos municípios do Ceará. Neste ano, a chuva ficou bem abaixo da média e causou frustração de safra. A Conab, tendo por base a realidade do ano de 2009, não aumentou o estoque de milho.

Mercado

R$ 25 é quanto custa, no comércio local, a saca de 60 quilos de milho em grão, mas na Conab a mesma quantidade é comprada por produtores rurais cadastrados por R$ 22,14

Tags:
Fonte:
Diário do Nordeste

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário