Tarifa chinesa ao frango dos EUA pressiona mercado do milho em Chicago

Publicado em 29/09/2010 11:44
411 exibições
O mercado de grãos continua trabalhando pressionado na Bolsa de Chicago com o clima favorável à colheita dos Estados Unidos. Segundo o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), a colheita das safras de milho e soja nos EUA começou com um ritmo mais acelerado do que a média.

De acordo com a norte-americana Agritel, o progresso da colheita nos EUA está espetacular, tanto para a soja quanto para o milho, graças ao clima favorável. As vendas, no entanto, são direcionadas pela pressão em Chicago e as posições adotam uma posição de precaução a espera dos dados do relatório de estoques trimestrais do USDA, que será divulgado nesta quinta-feira (30).

Além das informações referentes ao clima, a notícia de que a China impôs tarifas anti-dumping nos embarques de frango norte-americanos também impactou negativamente no mercado refletindo uma possível redução da demanda.

No último dia 26, o governo chinês afirmou que irá impor tarifas - cerca de 105,4% - nos produtos norte-americanos de frango de corte, alegando uma relação casual entre empresas norte-americanas de dumping por conta dos preços abaixo do mercado e as perdas da indústria avícola chinesa. A medida poderá reduzir a produção avícola e a demanda por ração para as aves.
Segundo o Conselho de Exportações Avícolas e de Ovos, em 2008, a nação asiática consumiu 800 mil toneladas de produtos de frango dos EUA.

A indústria avícola devora milho e farelo de soja, sendo assim, qualquer ataque às exportações de aves pode provocar uma desaceleração da demanda e uma pressão nos preços. Os produtores podem aumentar ou reduzir sua produção muito rapidamente, disse o economista Dennis Gartamn.

Às 12h06 (horário de Brasília) o vencimento dezembro do milho trabalha a US$4,93/bushel recuando 6,50 cents e o março a US$5,06/bushel com baixa de 6,25 cents.

Veja a notícia sobre a tarifa chinesa: Frango: China impõe restrições aos EUA e Brasil pode ganhar mercado

Com informações da Bloomberg
Tags:
Fonte: Redação NA

Nenhum comentário