Exportações brasileiras de milho crescem 15,5% em fevereiro

Publicado em 04/03/2011 15:41 e atualizado em 04/03/2011 16:43 1271 exibições
Em novo desempenho excepcional o milho fechou fevereiro com exportação de 1,18 milhões de toneladas de milho, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O volume embarcado mostrou crescimento de 15,5% em relação ao mês de janeiro, mas não superou os de setembro e dezembro que foram os maiores da série histórica para um único mês. Em relação às exportações realizadas em fevereiro de 2010, a alta é ainda mais impressionante, pois somaram menos da metade dos embarques de milho realizados este ano.

 
Os números confirmam recorde para o mês, que tinha visto o maior volume de exportação em fevereiro no ano 2009, quando foram embarcadas 749,45 mil toneladas de milho. A menor diferença estoque/produção mundial nesta safra explica este momento excepcional para a commodity que, como já ironizamos em outras análises, vive seu momento soja, disputando a preferência de escoamento do interior até os portos de uma forma como nunca se viu antes. A boa notícia é que enquanto o Brasil dispor de excedente exportável haverá demanda para o produto, pois já se sabe que o crescimento de produção esperado para a próxima safra do maior produtor mundial, os Estados Unidos, não será suficiente para elevar os estoques mundiais, isso porque a demanda deve ser ainda mais forte tanto da indústria quanto da criação animal.
 
Da mesma forma o preço médio também apresentou incremento, passando de US$ 244,67/ton em janeiro para US$ 264,54/ton no mês encerrado esta semana, o que comprova a curva de alta dos preços de exportação do milho brasileiro.

Tags:
Fonte:
AF News

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Não se iludam com esta exportação de milho de fevereiro, é o reflexo do encerramento em 28/02/2011 do período para utilização dos premios de "PEP" dos Leilões de 2010. Com o corte no orçamento de 2011, diante da EUFORIA midiática de preços BONS, adivinha quais são as rubricas que os técnicos escolheram para aplicar o corte de verba? Exatamente o milho por causa deste auê todo. Não quero nem imaginar as controvérsias que ainda virão ao longo do ano uma vez que diante das circunstâncias a verba restante terá que ser aplicada no "castigado" arroz, um pouco no feijão e outro tanto no trigo. Se a cotação em Chicago cair abaixo de 6.00/bu e neste câmbio que não deve mudar, o exportaqdor de milho será incapaz de pagar o Preço Minimo estipulado pelo Governo.

    0