Confinadores reduzem lucros com a valorização do milho

Publicado em 16/09/2011 08:41 430 exibições
Uma queixa cada vez mais comum entre os criadores é que o milho valorizado reduz a margem de lucro. Quando transformado em ração pesa ainda mais para as empresas que trabalham com o confinamento.

O milho é um dos principais ingredientes da ração animal. Sendo responsável por cerca de 70% a 80% da composição da dieta. Com o crescimento dos sistemas de confinamento no Brasil ele tem sido utilizado como principal fonte de nutrição animal.

Mas de mocinho o milho passou a ser o grande vilão dessa história. É que nos últimos anos ele passou a ser mais valorizado dificultando a lucratividade dos criadores. Essa relação da alta da saca do milho com a alta da arroba do boi vem preocupando alguns analistas.

– A situação de abastecimento do mercado do milho hoje é muito grave. O produtor que opera na cadeia produtiva da carne no Brasil deve ficar muito atento no que está acontecendo, porque este descompasso de oferta e demanda não é só no Brasil – analista, Tânia Tozzi.

Empresas que trabalham com o sistema de confinamento sentem no cocho o impacto da alta dos preços do milho. Em uma confinadora de Mato Grosso do Sul, por exemplo, com capacidade para 50 mil cabeças de gado, os custos de produção aumentam dia a dia.

– A alta do milho vem refletindo no confinamento. Como trabalhamos com uma ração energética e a nossa base é o milho isso reflete sim – relata a zootecnista Janaina Brum.

Em uma empresa especializada na venda de cereais para nutrição animal por exemplo, a saca do milho de 40 quilos que custava a três meses atrás R$ 19, hoje está custando R$ 22. Um aumento de quase 16% no valor do produto. Segundo alguns especialistas a tendência é que este valor aumente ainda mais até o final deste ano.

– Todas as vezes que a gente tem um aumento brusco na saca do milho como estamos tendo agora onde os níveis são históricos. Nós temos sim um mudança de patamares da carne. Mesmo que esses preços sejam elevados o produtor acaba tendo uma rentabilidade achatada porque o milho está realmente acima da média – complementa a analista.

Uma das alternativas da empresa de confinamento para minimizar o impacto no preço da arroba produzida no confinamento é comprar insumos em grande quantidade e estocar.

– A nossa ferramenta estratégica é sempre procurar comprar esses insumos e estocar para que a alta do milho não venha refletir no preço da arroba produzida no confinamento e os nossos clientes não sintam – explica Janaina.

Tags:
Fonte:
Canal Rural

0 comentário