Importação de milho pela China deve triplicar em 11/12, diz pesquisa

Publicado em 30/09/2011 13:56 e atualizado em 30/09/2011 15:19 548 exibições
A China, segundo maior consumidor mundial de milho, deverá mais que triplicar suas importações para 4 milhões de t no ano-safra que começa em outubro, à medida em que a forte demanda por ração animal absorve sua colheita abundante, mostrou uma pesquisa da Reuters divulgada na quinta-feira.

A previsão indicada na pesquisa é de cerca de 1 milhão de t abaixo do previsto por analistas em levantamento semelhante feito em julho. Apesar das expectativas de uma colheita abundante, os planos de Pequim para liberar 3,7 milhões de t de milho de reservas, para aliviar os altos preços até novembro, são uma indicação de seu crescente apetite pelo grão, usado para engordar porcos e aves.

A China pode aproveitar os preços relativamente mais baixos dos EUA e estocar milho de seu fornecedor tradicional. Porém, com tempo seco prejudicando a safra de milho dos EUA e estoques de abertura 2011/2012 vistos em mínima de oito anos, a China poderá olhar para a Argentina, segundo maior fornecedor, segundo uma pesquisa mediana de 10 traders e analistas.

Independentemente de onde vai comprar, o contrato de referência do milho em Chicago poderá subir novamente com quaisquer notícias que a China está no mercado, após temores de uma recessão terem provocado uma debandada do mercado global esta semana. "A maioria (das importações) provavelmente será usada para construir estoques. A China vai se tornar um importador de milho, um considerável importador de milho, e quando eles entrarem em ação, vai ser grande", disse John Baize, presidente da John C. Baize and Associates.

"Se você olhar para o que eles estão fazendo, eles estiveram na Argentina, conversando com o governo sobre acordos em transporte de milho da Argentina para a China", acrescentou. A previsão média é que a importação de milho da China atinja quatro milhões de toneladas em 2011/2012. Estimativas de 11 entrevistados na pesquisa variaram entre uma mínima de 2 milhões de t para uma máxima de 9,5 milhões de t.

A previsão da Reuters representa um aumento de três vezes ante as 1,3 milhão de t vistas pelo Departamento de Agricultura dos EUA no atual ano-safra, que termina este mês. De acordo com dados da China, as importações de outubro do ano passado até agosto deste ano já atingiram mais de 830 mil t e se as tendências de compra de milho da safra passada atuam como indicador, é provável que haja uma compra maior que o habitual em outubro.

Como as reservas domésticas de milho da China estão vistas com menos de um mês de consumo, traders dizem que Pequim terá que abandonar sua política de autossuficiência de grãos e de importação, uma vez que os preços dos EUA ainda estão relativamente baixos. "O acordo já foi feito e a China está apenas esperando para pressionar o botão", disse um dos entrevistados da enquete de uma empresa de agronegócio de Cingapura, que faz negócios com a China.

Tags:
Fonte:
Reuters

0 comentário