EUA: Políticos defendem cortes nos subsídios agrícolas para produtores americanos

Publicado em 13/09/2013 18:24
610 exibições

Alguns políticos e autoridades dos Estados Unidos que são contrários ao programa de seguro de safra norte-americano estão pedindo cortes nos valores dos seguros e de outros subsídios agropecuários, no momento em que o Congresso renova sua política agrícola. O assunto, que está movimentando o Congresso norte-americano, já foi pauta de quatro matérias da Bloomberg esta semana.  

Um grupo de legisladores republicanos e democratas já agendou uma reunião em Washington para reavaliar os investimentos do governo norte-americano em subsídios agrícolas para os próximos cinco anos.  

No sistema do programa de seguro de safra atual, os contribuintes americanos subsidiam a maior parte dos prêmios pagos para os produtores, cobrem grande parte dos custos administrativos computados pelas seguradoras para executar o programa e ainda garantem que todas as perdas sejam cobertas, de acordo com uma série de artigos publicados esta semana pela Bloomberg.

O seguro de safra americano cobriu o equivalente a 117 bilhões de dólares em 2012, o que inclui quase todo o milho, soja, algodão e trigo produzidos no país. O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) gastou 14 bilhões no programa no ano passado, quando a pior seca em 50 anos devastou lavouras no país.

Diante das críticas, os defensores do seguro agrícola estão intensificando seu lobby para preservar os níveis de financiamento do programa. As empresas seguradoras de safras e o USDA defendem que o seguro subsidiado ajuda a estabilizar os preços dos alimentos e protege os agricultores contra os caprichos do clima.

Existem expectativas de que ajustes sejam feitos na lei agrícola, já que ambas as casas do Congresso reconciliam medidas separadas em uma conferência para moldar uma Lei final.

Limite de subsídios
Durante uma discussão na Capitol Hill (Congresso americano), o republicano Tom Petri e o democrata Ron Kind, representantes do estado de Wisconsin, pediram que os legisladores re-avaliassem os gastos do governo norte-americano com a agricultura para os próximos cinco anos e que renovassem o programa de seguro de safra. “Nós estamos pedindo que essas empresas de seguro de safra se coloquem mais no jogo e não deixem tudo nas costas do contribuinte americano", disse Kind. 

Petri e Kind propuseram limitar o valor total dos subsídios de seguro de colheitas para 40 mil dólares por pessoa / ano, e eliminar o apoio para aqueles com renda bruta de mais de 250 mil dólares por ano. Essa medida que, de acordo com os legisladores, pouparia 11 bilhões dólares ao longo de uma década, não foi aceita na Câmara.

No âmbito do programa, atualmente os agricultores pagam apenas 38% de seus prêmios de seguros, ou seja, mais de 4 bilhões de dólares, em 2012. No ano passado, quase 1,2 milhões de apólices que cobrem 282 milhões de acres de terras agrícolas estavam em vigor.

Tradução: Fernanda Bellei

Fonte: Bloomberg

0 comentário