Conflitos geopolíticos: Tensões aumentam entre Rússia e Ucrânia, negociações em Gaza não avançam

Publicado em 12/08/2014 11:50 397 exibições

Rússia envia comboio de ajuda humanitária à Ucrânia; Ocidente expresa preocupação

Um comboio russo com alimentos, água e outros suprimentos partiu nesta terça-feira para o leste da Ucrânia, onde forças do governo estão fechando o cerco contra rebeldes separatistas, mas Kiev disse que não vai permitir que os veículos cruzem para seu território. 

Kiev e governos ocidentais alertaram Moscou contra qualquer tentativa de transformar a operação em uma intervenção militar mascarada, em uma região que enfrenta uma crise humanitária após quatro meses de guerra. 

Leia a notícia na íntegra no site da Reuters.

Conteúdo de caminhões de ajuda humanitária russos deve ser verificado, diz UE

As remessas russas de ajuda humanitária destinadas ao leste da Ucrânia, onde as forças do governo enfrentam uma rebelião pró-Rússia, devem ser examinadas para assegurar de que não servem a propósitos políticos, disse a diretora de ajuda humanitária da União Europeia, Kristalina Georgieva, nesta terça-feira.

Um comboio russo carregando comida, água e outros suprimentos de ajuda humanitária foi enviado nesta terça ao leste da Ucrânia, mas Kiev disse que não permitiria a entrada dos veículos em seu território. A carga deveria ser recebida pela Cruz Vermelha e transferida a outros veículos.

Leia a notícia na íntegra no site da Reuters.

Israel vê pouco progresso nas negociações pelo fim da guerra em Gaza, diz autoridade

Negociações para encerrar uma guerra entre Israel e militantes islâmicos em Gaza, que já dura mais de um mês, não tiveram progresso até agora, disse uma autoridade israelense nesta terça-feira, enquanto um cessar-fogo de 72 horas no enclave palestino era mantido pelo segundo dia. 

Negociadores israelenses e palestinos devem se reunir no Cairo, onde o Hamas e seus aliados estão buscando colocar um fim ao bloqueio israelense e egípcio à Faixa de Gaza.

Leia a notícia na íntegra no site da Reuters

Fonte:
Reuters

0 comentário