Focus: Pela 19ª semana seguida, mercado baixa previsão de alta do PIB de 2014 para 0,24%

Publicado em 06/10/2014 08:45 131 exibições

O mercado financeiro reduziu de novo sua previsão de crescimento da economia brasileira para este ano - que recuou pela décima nona semana consecutiva - e também baixou sua estimativa de alta para 2015, informou nesta segunda-feira (6) o Banco Central.

As previsões foram coletadas pela autoridade monetária na semana passada com mais de 100 instituições financeiras, em levantamento deu origem ao relatório de mercado, também conhecido como Focus.

A previsão dos analistas para o crescimento da economia brasileira neste ano, de acordo com o BC, recuou de 0,29% para 0,24%. Se confirmado, será o pior resultado desde 2009 - quando a economia encolheu 0,33%. Para 2015, a previsão do mercado para a expansão do PIB caiu de 1,01% para 1%.

Confira a notícia na íntegra no site do G1

Na Reuters: Economistas elevam projeção para Selic em 2015 a 11,88%

LOGO REUTERS

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - Economistas de instituições financeiras elevaram pela segunda vez seguida a projeção para a Selic em 2015, para 11,88 por cento na mediana das estimativas, contra 11,38 por cento, de acordo com a pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira.

Para este ano, a perspectiva da Selic permaneceu nos atuais 11 por cento.

Em relação à inflação, os economistas consultados elevaram a estimativa de alta do IPCA neste ano a 6,32 por cento contra 6,31 por cento no levantamento anterior, e mantiveram a conta para 2015 em 6,30 por cento.

O Focus mostrou ainda que a estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 passou a 0,24 por cento neste ano, 19ª semana de queda, contra 0,29 por cento. Para 2015 a projeção caiu 0,01 ponto percentual, a 1 por cento.

Segundo o levantamento, os economistas elevaram sua projeção para o dólar neste ano a 2,40 reais, sobre 2,35 reais anteriormente. Para 2015 a estimativa também subiu, a 2,50 reais sobre 2,45 reais.

Essas projeções foram enviadas pelos economistas ao BC até sexta-feira, antes do primeiro turno das eleições presidenciais em que o candidato do PSDB, Aécio Neves, garantiu uma vaga na segunda etapa da disputa junto com a presidente Dilma Rousseff (PT).

Fonte:
G1 + Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário