Bovespa tem forte volume financeiro e boa alta, Petrobras sobe e dólar recua

Publicado em 06/10/2014 09:50 e atualizado em 06/10/2014 12:24 1350 exibições

A Bovespa negocia, em uma hora de pregão, o que em dias normais transaciona em 3,5 horas. O giro financeiro da bolsa às 11h18 era de R$ 3,8 bilhões. Desse total, Petrobras (PN e ON) responde por R$ 1,32 bilhão, ou 36% do total. O Ibovespa subia 4,55% às 11h19, para 57.022 pontos.

O mercado reage fortemente ao resultado do primeiro turno das eleições à Presidência da República, que mostrou reação do candidato do PSDB, Aécio Neves.

Confira a notícia na íntegra no site do Valor Econômico 

Bovespa sobe quase 7% após resultado do 1º turno das eleições

A bolsa paulista reagia positivamente nos primeiros negócios desta segunda-feira (6) ao resultado do primeiro turno da eleição presidencial, que mostrou arrancada final do candidato de oposição Aécio Neves (PSDB).

Mais do que a presença do tucano no segundo turno, agentes destacavam que a votação obtida neste domingo pelo tucano o aproximou da primeira colocada, a presidente Dilma Rousseff (PT).

Às 10h30, o Ibovespa avançava 6,99%, a 58.352 pontos.

LOGO REUTERS (16408)

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O contrato futuro do Ibovespa para outubro registrava forte alta nos primeiros negócios, sinalizando uma abertura bastante positiva para a bolsa paulista nesta segunda-feira, após desempenho do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, no primeiro turno da eleição presidencial. 

Às 9h10, o contrato do Ibovespa para outubro, que expira no próximo dia 15, avançava 9,53 por cento, a 60.000 pontos.

Dólar sai da mínima do dia, mas segue em forte baixa ante real

O dólar segue em forte queda de cerca de 2% frente ao real nesta segunda-feira, mas já saiu da mínima do dia, quando chegou a cair quase 4%. De toda forma, a onda de vendas prevalece, com os mercados mais cedo acionando ordens de “stop-loss” -  para técnica para interrupção de perdas - diante da surpresa com o desempenho do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves.

Veja a notícia na íntegra no site do Valor Econômico 

Dólar cai 3% e volta a R$2,38, com reação de Aécio na disputa eleitoral

LOGO REUTERS (16408)

Por Bruno Federowski e Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caía cerca de 3 por cento ante o real nesta segunda-feira, chegando ao patamar de 2,38 reais na mínima do dia, após o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, garantir uma vaga no segundo turno das eleições com surpreendente arrancada final, aproximando-se da atual presidente Dilma Rousseff (PT) como nunca na campanha.

Operadores diziam, no entanto, que esse movimento não deve se sustentar nas próximas semanas, uma vez que a disputa no segundo turno deve ser acirrada e manter o mercado volátil.

Às 9h54, a moeda norte-americana recuava 2,92 por cento, a 2,3900 reais na venda, após alcançar 2,3782 reais na mínima da sessão, com queda de 3,40 por cento. O contrato futuro do dólar para novembro caía 2,70 por cento, a 2,4100 reais.

"O mercado está eufórico com a possibilidade de um segundo turno mais disputado", disse o operador de câmbio da corretora B&T Marcos Trabbold.

Aécio ficou com 33,6 por cento dos votos válidos, o equivalente a 34,9 milhões, enquanto Dilma marcou 41,6 por cento, ou quase 43,3 milhões de votos. O desempenho do tucano veio bem acima do indicado nas pesquisas de intenção de voto, surpreendendo investidores.

Dilma é alvo de fortes críticas no mercado financeiro, que prefere a política econômica mais ortodoxa prometida por Aécio.

Analistas acreditam que o mercado deverá continuar volátil até o segundo turno, no próximo dia 26, operando com base no noticiário político e nas pesquisas. Mas a médio prazo, preveem pressão de alta do dólar devido à perspectiva de juros mais elevados nos Estados Unidos.

"O dólar deve ter um movimento instantâneo de queda", afirmou o sócio-gestor da Leme Investimentos, Paulo Petrassi. "A queda não deve levar a moeda ao patamar inferior a 2,30 reais, nem o PSDB quer isso", acrescentou.

Nesta manhã, o Banco Central vendeu a oferta total de swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, como parte das atuações diárias. Foram vendidos 2 mil contratos para 1º de junho e 2 mil para 1º de setembro de 2015, com volume correspondente a 197,7 milhões de dólares.

O BC também fará nesta sessão mais um leilão de rolagem dos swaps que vencem em 3 de novembro, que equivalem a 8,84 bilhões de dólares, com oferta de até 8 mil contratos. Até agora, a autoridade monetária já rolou cerca de 13 por cento do lote total.

Câmbio aplaude Aécio e dólar cai quase 4%, maior queda desde 2010

O dólar desabou frente ao real logo após a abertura dos negócios desta segunda-feira. A cotação recuou 3,88% na mínima, maior queda percentual diária desde maio de 2010 e bateu R$ 2,3662, menor patamar desde o último dia 19 de setembro.

A onda de vendas ocorre em reação ao desempenho de Aécio Neves (PSDB) no primeiro turno das eleições presidenciais. O candidato tucano ficou com 33,55% dos votos válidos, menos de dez pontos percentuais aquém de Dilma Rousseff (PT), que teve 41,59% dos votos. A performance de Aécio foi muito acima da sugerida por pesquisas eleitorais e garantiu o tucano no segundo turno com Dilma, à frente de Marina Silva (PSB), que teve 21,32% dos votos.

Leia a notícia na íntegra no site do Valor Econômico.

Fonte:
Valor Econômico + Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário