Trégua eleitoral deixa Bovespa em alta; dólar e juros caem

Publicado em 22/10/2014 09:41 e atualizado em 22/10/2014 13:09 289 exibições

O dia mais calmo em termos de noticiário político deixa a bolsa em alta e o dólar estável. Os juros operam em ligeira queda, influenciados por um alívio no exterior.

A nova pesquisa Datafolha não trouxe novidades. Ou seja, o quadro eleitoral segue inalterado. O levantamento mostrou a candidata pelo PT Dilma Rousseff com 52% dos votos válidos e Aécio Neves, do PSDB, com 48%. O levantamento mostra o mesmo placar observado em sondagem divulgada no dia 20 de outubro.

Como pano de fundo, as bolsas sobem na Europa e nos Estados Unidos, e os mercados mais calmos ajudam no alívio dos negócios no Brasil.

Leia a notícia na íntegra no site do Valor Econômico

Dólar registra estabilidade, dividido entre pesquisa local e exterior

O dólar oscila em torno da estabilidade frente ao real nesta quarta-feira, em uma sessão sem notícias de peso que estimulem a abertura de novas posições na moeda americana, a poucos dias do segundo turno das eleições presidenciais no Brasil.

O mercado chegou a reagir mais cedo a uma nova pesquisa Datafolha divulgada na madrugada desta quarta-feira confirmando a presidente Dilma Rousseff (PT) numericamente à frente de Aécio Neves (PSDB) na corrida presidencial. Mas os números reportados foram os mesmos da pesquisa divulgada na segunda-feira e que pressionou os mercados na terça-feira. Pelas duas sondagens, a presidente Dilma possui 52% das intenções de votos válidos, enquanto Aécio tem 48%.

Leia a notícia na íntegra no site do Valor Econômico.

No G1: Dólar fica instável até o fim do ano, dizem especialistas

A disputa eleitoral para a Presidência do país impacta a alta na cotação do dólar, e a tendência é que a instabilidade no câmbio permaneça pelo menos até o final do ano, segundo especialistas ouvidos pelo G1. Além disso, eles preveem que a moeda norte-americana não voltará mais abaixo do patamar de R$ 2,40.

Por isso, quem precisa comprar dólar para viajar deve ter cautela. O momento é de acompanhar a cotação dia a dia e deixar para comprar quando a moeda estiver com valor menor. Os especialistas dizem que a melhor estratégia é ir comprando aos poucos.

Leia a notícia na íntegra no site do G1.

Fonte:
Valor Econômico + G1

0 comentário