Na Veja: Erundina ataca PT, Marina e o ‘amigo’ Temer

Publicado em 01/08/2016 07:30
115 exibições

A deputada federal Luiza Erundina foi companheira de chapa de Michel Temer, de quem se tornou amiga, por causa de uma aliança entre o PT e o PMDB, na disputa pela prefeitura paulistana, em 2004. Na última eleição presidencial, assumiu a coordenação-geral da campanha de Marina Silva à Presidência, mesmo a contragosto, por determinação de seu então partido, o PSB. “Sofri, viu?”, relembra. Considera-se uma mulher de partido. Agora, uma das seis representes do PSOL na Câmara dos Deputados, ela se engaja para a criação do Raiz, um novo partido no Brasil, o 34º, que deve estar pronto para disputar as eleições de 2018. Em seu quinto mandato e aos 81 anos, ela critica a atual classe política, fala das tentações da corrupção, conta como gasta seu salário de deputada e diz que não pensa em se aposentar – ela chega a ficar em segundo lugar na disputa pela Prefeitura de São Paulo, a depender do cenário. Leia a seguir a entrevista que Erundina concedeu no salão de festas de seu prédio, na Saúde, bairro de classe média de São Paulo.

A senhora está em seu quinto mandato na Câmara. É verdadeira a afirmação de Ulisses Guimarães de que “se você está insatisfeito com a composição dessa Câmara, então aguarde a próxima”? Sem dúvida. É incrível como a cada novo mandato vejo uma piora na representação e no desempenho dos parlamentares. Nada me impressiona mais, no entanto, do que a incapacidade do Congresso Nacional de se renovar. Mesmo os parlamentares jovens possuem a mesma cabeça dos parlamentares velhos. Se você analisar os sobrenomes dos atuais membros da Câmara, que conheço melhor, e até no Senado, verá que são os mesmos de sempre. Um é neto de fulano de tal, outro é filho de não sei quem.

Leia a notícia na íntegra no site da Veja

Fonte: Veja

Nenhum comentário