Rio abre Irmandade, nova etapa da Operação Lava Jato; empresário de SP é preso

Publicado em 10/08/2016 09:43
103 exibições

Em nova fase da Operação Lava Jato, no Rio de Janeiro, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram nesta quarta-feira, 10, a Operação Irmandade, em que foram denunciados 11 investigados, sendo cumprido 1 mandado de prisão e 1 de busca e apreensão em São Paulo, expedido pela 7a Vara Federal Criminal/RJ. O empresário Samir Assad, irmão do empresário e lobista Adir Assad, condenado na Lava Jato, foi preso.

A Operação Irmandade é um desdobramento da Operação Pripyat, em que foi investigado desvio milionário nas obras de Angra 3 da Eletronuclear, sendo presas 10 investigados vinculados ao núcleo administrativo de organização criminosa estruturada para desviar recursos públicos.

Leia a notícia na íntegra no site do Estadão

O Globo: Empresário de SP é preso em nova fase da Lava-Jato que apura esquema na Eletronuclear

RIO - A Operação Lava-Jato deu nesta quarta-feira, com a prisão do empresário Samir Assad em São Paulo, mais um passo no sentido de rastrear os beneficiários de um dos maiores esquemas de pagamento de propina do país. Denúncia oferecida pela Procuradoria da República no Rio de Janeiro acusa Samir, juntamente com o irmão, Adir Assad, que já está preso alvo da operação Saqueador, e outras nove pessoas de montar um caixa dois de empreiteiras para permitir o pagamento de quase R$ 178 milhões em suborno, entre 2008 e 2013, a dirigentes da Eletronuclear. A ação de hoje foi denominada “Irmandade” foi cumprida pela Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros (Delecor), na qual um Porsche foi apreendido. Além do mandado de prisão, há um mandado de busca e apreensão, expedido pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

O núcleo financeiro comandado pelos irmãos Adir e Samir, que seriam conhecidos no mercado da propina por “quibe e esfirra”, operou para pelo menos três grandes empreiteiras, a Andrade Gutierrez, a Delta e a Odebrecht, em obras como a construção da usina nuclear de Angra 3, a reforma do Complexo do Maracanã para a Copa do Mundo de 2014 e a implantação do Comperj, o pólo petroquímico de Itaborai.

Leia a notícia na íntegra no site do jornal O Globo

 

Fonte: Estadão + O Globo

Nenhum comentário