Na Veja: Teori vê insistência de Lula em “embaraçar” a Lava Jato

Publicado em 08/09/2016 12:35
825 exibições
Para o ministro relator do Petrolão no STF, o ex-presidente tenta reiteradamente apresentar reclamações contra o juiz Sergio Moro

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator da Lava Jato, Teori Zavascki, afirmou em decisão que o recurso apresentado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é “mais uma das diversas tentativas da defesa (do ex-presidente) de embaraçar as apurações” da Operação Lava Jato. Teori negou o pedido do petista.

Lula pediu que três inquéritos que estão em Curitiba fossem suspensos e encaminhados ao STF. Na decisão, o ministro destaca a “insistência do reclamante” e informa que Lula tenta dar “contornos de ilegalidade, como se isso fosse a regra” aos atos de Sergio Moro. Teori destaca também que o STF “possui amplo conhecimento dos processos (inquéritos e ações penais) que buscam investigar supostos crimes praticados no âmbito da Petrobras, com seus contornos e suas limitações”.

“Os argumentos agora trazidos nesta reclamação constituem mais uma das diversas tentativas da defesa de embaraçar as apurações”, afirmou o ministro em decisão de sete páginas na última terça-feira. Segundo a reclamação protocolada pelos advogados de Lula no Supremo, o ex-presidente é alvo de apurações que tratam de “fatos idênticos”. Teori afirma que a defesa não tem razão, afinal o próprio juiz Sergio Moro destacou que não ultrapassou os limites de sua atuação porque ainda não há em nenhuma das apurações a delimitação dos fatos.

Leia a reportagem completa no site da Veja:

Fonte: Veja

1 comentário

  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Vivemos em épocas, onde a régua que mede a inteligência do indivíduo resume-se em sua capacidade em "ganhar dinheiro".
    Os artigos sobre economia trazem termos como, bens de capital, bens de consumo, relação capital e trabalho, produtividade, custo marginal, enfim é longa a lista.
    A realidade brasileira, na área econômica, pode-se compará-la a uma brincadeira de criança.
    O "Estado" vende a imagem à população que sem "Ele" dizendo o que é melhor para todos, nada acontece. "Ele" é o único que tem a capacidade de investir, construir e, implementar as ações para fornecer educação, saúde e segurança à população. Qual é a realidade que vivenciamos?
    O agronegócio brasileiro está "bombando" por quê?
    As propriedades rurais são administradas com o objetivo de alcançar a máxima produtividade, os procedimentos são planejados usando as melhores técnicas à disposição, o capital humano é condizente com o valor dos bens de capital utilizados.
    O resultado está aí nos relatórios governamentais, com um detalhe, da porteira para fora, vive-se as benesses do "Estado". Imagine se tivéssemos MENOS "Estado"?
    A riqueza de uma sociedade é a sua capacidade em produzir bens e serviços.
    Os valores impostos à sociedade como pagamentos de tributos ao "Estado", com certeza teriam efeitos multiplicadores de riquezas em mãos competentes, haja vista, que "Ele" não é competente como gestor de riquezas.
    Ah! Quanto à inteligência do individuo em ganhar dinheiro, parece que toda a "inteligência" migrou para a classe política, pois o que se vê "não existe político pobre".

    0
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Sr. Rensi, veja que no Brasil nenhum pobre pode fazer algo, se destacar em alguma coisa que logo aparece um "riquinho" para fazer melhor, mais bonito, mais gostoso... No feriado conversando com um sujeito envolvido com a campanha, ouvi a reclamação de que do jeito que está não pode ficar, que o país está em uma ditadura do judiciário, que desse jeito não há como trabalhar... etc... etc... E pode acreditar, campanha de politico de alto coturno.

      0